40 anos de 'E.T. — O extraterrestre': Confira 40 curiosidades sobre o clássico de Steven Spielberg

Há 40 anos, um simples passeio de bicicleta mudou a história do cinema e da cultura pop. “E.T. — O extraterrestre”, clássico dirigido por Steven Spielberg, chegou às salas americanas no dia 11 de junho de 1982. No Brasil, viria a estrear meses depois, no dia de Natal. O filme retorna às telas hoje em relançamento comemorativo em Imax pelas quatro décadas.

'The Crown' e 'Flordelis': os lançamentos de séries em novembro no streaming

Bono: Em biografia, cantor conta bastidores do U2, assume erros e detalha drama de saúde

— O filme marca a consolidação desse tipo de cinema dos filmes-evento que tem o Spielberg como grande símbolo a partir de "Tubarão" (1975). E mesmo sendo tratado como um tipo de cinema de entretenimento, é interessante notar que Spielberg consegue imprimir uma marca autoral — destaca o crítico Marcelo Janot. — O que diferencia “E.T.” é que ele é um filme mágico para as crianças, mas que ao mesmo tempo encanta os adultos de uma maneira assombrosa.

Aproveitando a data simbólica, separamos 40 curiosidades sobre este clássico do cinema mundial.

1. “E.T. — O extraterrestre” faturou US$ 792,9 milhões nas bilheterias mundiais e ajudou a consolidar o formato dos blockbusters.

2. Vencedor de quatro estatuetas do Oscar: melhor som, melhor edição de som, melhores efeitos especiais e melhor trilha sonora original.

3. John Williams conquistou seu terceiro Oscar pelo trabalho. Ele já havia sido premiado pelas trilhas sonoras de “Tubarão” (1975) e “Star Wars” (1977).

4. Em parceria com o diretor de fotografia Allen Daviau, Spielberg optou por rodar a maior parte do filme no nível do olhar de uma criança, colocando a câmera na altura de Elliott e E.T.

5. Spielberg colocou uma criança fantasiada de Yoda na cena do dia do Halloween como uma espécie de piada interna com seu amigo George Lucas. Na cena, é possível ouvir um breve trecho do tema de Yoda composto por Williams para “O império contra-ataca” (1980).

6. Anos depois, em “Star Wars, episódio I: A ameaça fantasma” (1999), Lucas devolveu a referência e colocou a espécie de E.T. aparecendo em uma reunião do senado galáctico.

7. Spielberg também lançou “Poltergeist: O fenômeno” em 1982. Ele considera que “E.T.” é uma representação dos sonhos do subúrbio americano, enquanto que “Poltergeist” representa os pesadelos.

8. Spielberg se emocionou durante o teste do ator Henry Thomas. Então com 10 anos, o garoto pensou no dia que seu cachorro morreu para encenar a cena em que Elliott teme que um agente do governo leve o E.T. embora. O diretor ficou tão satisfeito que contratou o menino na hora após testar mais de 300 garotos.

9. Além de ter uma parte animatrônica, o E.T. também foi interpretado pelos atores Matthew De Meritt, que nasceu sem pernas, e Tamara De Treaux e Pat Bilon, que tinham nanismo.

10. Spielberg foi apresentado à roteirista Melissa Mathison por Harrison Ford no set de “Os caçadores da arca perdida” (1981). Mathison e Ford eram namoradas à época e foram casados entre (1983 e 2004).

11. O primeiro rascunho do roteiro de Mathison descrevia o E.T. como uma espécie de planta sem gênero masculino ou feminino. Posteriormente, Spielberg esclareceu que o E.T. era uma criatura sintética, mas com semelhanças com plantas.

12. Harrison Ford chegou a rodar uma breve participação como o diretor da escola de Elliott. A ponta, no entanto, ficou fora do filme.

13. Spielberg contratou médicos e enfermeiros de verdade para a cena em que E.T. recebe um tratamento. Ele pediu que os profissionais tratassem o personagem como um paciente de verdade.

14. Diretor de “Gandhi”, Richard Attenborough não ficou feliz com o fato de seu longa ter superado “E.T.” na disputa do Oscar de melhor filme. Ele considerava o trabalho de Spielberg mais completo

15. Criado pelo designer italiano Carlo Rambaldi, o rosto de E.T. foi moldado tendo como modelos o poeta Carl Sandburg, o físico Albert Einstein, o escritor Ernest Hemingway e um cão da raça pug.

16. Spielberg queria usar M&Ms para atrair o E.T. em uma cena do filme. A companhia responsável pelo doce, no entanto, negou a participação por achar que o extraterrestre era muito feio e iria assustar crianças.

17. A produção acabou usando o chocolate Reese's Pieces, cujas vendas dispararam após a aparição no filme. Após isso, muitas marcas começaram a querer mostrar seus produtos em filmes.

18. Spielberg realizou uma exibição privada para o presidente Ronald Reagan e a primeira dama Nancy Reagan na Casa Branca, em junho de 1982.

19. Um game de "E.T." criado para o Atari foi um dos maiores fracassos comerciais e de crítica da história dos videogames, o que levou a milhares de cartuchos não vendidos a serem enterrados no deserto.

20. Na versão comemorativa de 20 anos, lançada em 2002, Spielberg alterou uma cena digitalmente para retirar as armas dos policiais que perseguiam as crianças. Anos depois, ele revelou ter se arrependido da decisão e voltou atrás nos próximos relançamentos.

21. Parte da premissa do filme foi pensada enquanto Spielberg trabalhava em “Contatos imediatos do terceiro grau” (1977). O diretor ficou intrigado com a ideia do que aconteceria se um alien ficasse para trás.

22. Drew Barrymore tinha 7 anos quando fez o filme. Ela acreditava que E.T. era uma criatura de verdade. Para não perder o encanto, Spielberg pedia para que pessoas da produção mantivessem o boneco vivo durante os intervalos das filmagens.

23. A cena do E.T. na frente da Lua ficou tão marcada que Spielberg a escolheu para logomarca de sua produtora, Amblin Entertainment.

24. Antes de se tornar uma história infanto-juvenil, Spielberg chegou a desenvolver uma de terror com o título de “Night Skies”, com vários aliens.

25. Drew Barrymore guardou para si o chapéu vermelho de caubói do filme e hoje deixa no quarto da filha.

26. “E.T.” teve orçamento de US$ 10,5 milhões. Só o desenvolvimento dos bonecos do extraterreste custou US$ 1,5 milhão.

27. A atriz Pat Welsh foi escolhida para dublar o E.T. por causa da voz rouca, fruto dos dois maços de cigarro que fumava por dia. O criador de efeitos sonoros Ben Burtt também usou vozes de outras pessoas, como o próprio Spielberg, para chegar à voz do personagem.

28. A Universal sempre quis uma continuação para a história e Spielberg chegou a pensar num roteiro passado no planeta do E.T.. Mas engavetou o projeto com medo de macular o original.

29. Spielberg manteve a produção sob tanto segredo que nem o responsável pelo pôster sabia como seria o visual do E.T. quando desenvolveu a clássica imagens do cartaz em que os dedos de Elliott e E.T. se tocam.

30. O diretor rodou a história na ordem cronológica para passar uma sensação de autenticidade para as crianças do elenco.

31. O tênis da Nike usado por Elliott em cena é o mesmo visto em Michael J. Fox em “De volta para o futuro”, produzido por Spielberg.

32. Coincidentemente, o primeiro filme do diretor, “A louca escapada” (1974), tem um personagem chamado E.T. Elliott.

33. Maquiador e especialista em efeitos visuais, Rick Baker foi chamado para criar o visual do E.T., mas acabou se desentendendo com o diretor. Spielberg não ficou satisfeito com o fato de Baker pedir mais tempo e mais dinheiro.

34. Michael Jackson era dono de um dos bonecos originais criados para o E.T.

35. Sarah Michelle Gellar e Juliette Lewis fizeram testes para o papel de Gertie, que ficou com Drew Barrymore.

36. A mãe de Gertie lê “Peter Pan” para ela no filme. Fã da história, Spielberg dirigiu “Hook, a volta do Capitão Gancho” (1991).

37. O cineasta se vestiu de mulher para dirigir a cena de Halloween, como uma forma de deixar as crianças mais confortáveis.

38. “E.T” foi a maior bilheteria da história por 11 anos. Acabou superado por “Jurassic Park” (1993), também de Spielberg.

39. O clássico inspirou inúmeras produções, como a série “Stranger things”.

40. François Truffaut convenceu Spielberg a fazer um filme infantil com a justificativa de que ele também era uma criança.