5 desafios para exercitar seu pensamento elástico

·5 minuto de leitura
Desenho minimalista do cérebro humano
Desenho minimalista do cérebro humano

"Aqueles que não conseguem mudar de ideia não conseguem mudar nada", disse o dramaturgo, crítico e polemista irlandês George Bernard Shaw.

A mudança não é apenas indispensável, mas também inevitável, uma vez que a vida não é estática ou imutável, mas fluida.

Portanto, convém ter uma mente elástica, ou o que os especialistas chamam de flexibilidade cognitiva, a capacidade de adaptar nossos comportamentos, pensamentos e sentimentos de acordo com as circunstâncias.

Poucas vezes isso foi necessário de forma tão dramática e urgente como no período que vivemos desde o início de 2020. Diante da pandemia global, governos, instituições, empresas e pessoas foram forçados a fazer adaptações necessárias e criativas para enfrentar uma situação incerta e em rápida evolução.

As respostas à pandemia, desde a negação e manutenção do status quo até a ação rápida e decisiva para reduzir a propagação do vírus, forneceram um exemplo vivo de por que a elasticidade mental é vital.

Mas, desde muito antes de a covid-19 aparecer nas nossas vidas, sua importância era amplamente reconhecida: várias pesquisas sobre desenvolvimento e tempo de vida mostram que a flexibilidade colabora para o bom desempenho acadêmico, o sucesso no trabalho, a transição bem-sucedida para a idade adulta e, mesmo na velhice, pode mitigar os efeitos do declínio cognitivo.

Uma prova

Tudo indica então que vale a pena ter uma mente elástica. Mas como saber se você tem uma?

"Quando seu cérebro não pode prever algo, ou quando você tem que assimilar novas informações que você não previu, seu cérebro pode se atualizar - isso é o que chamamos de aprendizado - ou pode ignorar os dados dos sentidos e simplesmente insistir com suas próprias previsões ", explicou à BBC Ideas a neurocientista e psicóloga Lisa Feldman Barrett.

"Há uma demonstração bem conhecida de flexibilidade chamada teste de Stroop", observou o psicólogo Volker Patent.

Nele, eles mostram os nomes das cores escritas com tintas que não combinam...

Palavras coloridas
Palavras coloridas

...e você tem que pressionar os botões coloridos que correspondem ao que diz a palavra, não sua aparência.

"A ideia por trás disso é que, para fazer isso, você tem que mudar diferentes pedaços de informação em sua mente. Em termos simples, o que acontece é que quando você visualiza a cor da palavra, os processos automáticos de leitura da palavra interferem com a capacidade de indicar cores em voz alta. Quanto mais difícil for para uma pessoa, menos flexíveis cognitivamente ela será. "

Ser psicologicamente flexível permite que você faça o melhor uso dos recursos de que dispõe para lidar com o estresse, por exemplo.

Aqueles que sofrem de inflexibilidade psicológica tendem a usar uma gama muito pequena de seus recursos para se adaptar, explica Patent.

"A ideia da flexibilidade psicológica é tirar as pessoas de um estado que os psicólogos chamam de languidez, para um estado em que possam realizar mais do seu potencial."

"O que os impede de mudar suas vidas de um estado de baixa satisfação para um de maior satisfação geralmente tem a ver com a inflexibilidade na maneira como abordam os problemas que enfrentam."

Jovem fundido com seu sofá
A ideia é viver, não apenas sobreviver.

Para a doutora Feldman Barrett, há uma lição muito profunda nisso.

"Você pode ter mais controle sobre o seu ambiente. Você não é apenas um receptor passivo do que o mundo lhe dá."

Um, dois e...

A ideia é ser proativo: passar o tempo cultivando experiências e buscando novas informações. "São oportunidades de se expor a erros de previsão para que seu cérebro possa resolver problemas com mais flexibilidade no futuro."

"Expor-se a coisas que você não conhece, e talvez até a ideias de que não gosta, pode fazer você se sentir mal no momento, mas acaba sendo um investimento muito bom para o seu bem-estar", afirma a especialista.

Se você não sabe por onde começar, não se preocupe: aqui estão alguns exercícios, cortesia do físico Leonard Mlodinow, autor de Elastic: Flexible Thinking in a Constant Changing World (Elástico: Pensamento Flexível em um Mundo em Constante Mutação, em tradução livre).

Cérebro levantando peso
Cérebro levantando peso

1. Escolha uma ideia na qual você não acredita

Chamo isso de "ideia do dia".

Não me refiro a fingir. Refiro-me a, sinceramente, tentar imaginar como alguém que pensa diferente de você, mas alguém que você respeita, pode aceitar essa ideia e tentar convencer você disso.

2. Reflita sobre seus erros

Quando cometemos erros, muitas vezes tentamos esquecê-los

Bem, neste exercício, você vai pensar sobre quando cometeu um erro. Lembre-se de um momento em que você estava errado - quanto mais errado e mais importante, melhor - e concentre-se nisso.

Perceba que você nem sempre está certo.

Uma das barreiras para o pensamento elástico é nossa tendência de sempre pensar que estamos certos e continuar nos movendo na mesma direção.

Este exercício ajudará você a se libertar disso.

3. Experimente novos alimentos

Isto é divertido.

Escolha um restaurante ao acaso ou um que você normalmente não iria e peça algo que você normalmente não pediria.

Certifique-se de que não é o prato mais popular, e sim o menos popular.

Ou compre ingredientes que ainda não experimentou, aprenda a cozinhá-los e experimente-os.

Estudos indicam que se testar de forma simples como essa aumenta sua criatividade e imaginação.

4. Fale com estranhos

Seus pais lhe ensinaram: "Não fale com estranhos".

Bem, seu quarto exercício é desobedecê-los.

Na verdade, converse com pessoas que são tão diferentes de você quanto possível, pessoas que acreditam em coisas diferentes, ou apenas pessoas aleatórias. Tente entender como elas pensam.

Quanto mais você estiver exposto à forma como outras pessoas pensam, mais amplo será o seu pensamento.

5. Veja arte

Não me refiro a um Rembrandt, quero dizer arte que é diferente, mesmo que você não goste.

Veja uma exposição que te exponha a uma arte diferente da que você normalmente vê (você pode fazer isso online). Isso o ajudará a pensar de forma diferente.

A pesquisa mostra que, se você fizer exercícios como esses cinco, sua mente ficará mais elástica, será mais fácil para você se adaptar às mudanças e você poderá ser aquele ou aquela a mudar tudo, como diz Mlodinow.

* Este artigo foi adaptado dos vídeos do BBC Ideas "Five ways to be more elastic in your thinking" e "The benefits of flexible thinking".

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos