500 mil pedras portuguesas serão recoladas no calçadão da Barra

Maíra Rubim
Pedras portuguesas soltas na altura do G-Mar, no Pepê

RIO — Cerca de 500 mil pedras portuguesas serão recolocadas num trecho de oito quilômetros do calçadão da Praia da Barra, do Quebra-Mar à Reserva. O trabalho começará na segunda-feira e deve durar cerca de seis semanas. Duas equipes, que somam nove pessoas, vão trabalhar na recolocação das pedras, que, se dispostas lado a lado, ocupariam 827,35 metros quadrados. A iniciativa é da concessionária Orla Rio, administradora dos quiosques, em parceria com a Superintendência da Barra.

— Nosso negócio funciona na praia e pensei que deveríamos ajudar a orla da nossa cidade. Fizemos um levantamento para saber que pontos precisam de reparo. Até o verão, o calçadão já vai estar recuperado — promete João Marcello Barreto, CEO da Orla Rio e morador do bairro.

Ele espera que a iniciativa estimule outras empresas a recuperarem mais pontos:

— Nosso trabalho vai ser no trecho que é o mais extenso da orla marítima.

A má conservação do calçadão da Praia da Barra chamou a atenção no último dia 30, quando o pianista Nelson Freire, de 75 anos, fraturou o úmero e machucou o rosto e os joelhos após sofrer uma queda quando caminhava pela orla, próximo ao Posto 3.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER ( OGlobo_Bairros )