5G chegará às capitais do país até julho de 2022, mas não de forma integral, diz ministro das Comunicações

·1 min de leitura

BRASÍLIA - O ministro das Comunicações, Fábio Faria, avalia que o leilão do 5G, que deve ser concluído nesta sexta-feira (dia 5), é um sucesso. Para ele, o fato de não haver novas empresas estrangeiras na licitação nao comprometeu o resultado, que, na sua avaliação, vai resultar em uma forte competição entre as teles para definir qual será a primeira a ofercer o 5G no país.

Viu isso? Leilão do 5G: Claro e Vivo arrematam os primeiro lotes com foco em levar internet às escolas

Ao ser perguntado se é mesmo factível que as empresas cumprirão a exigência do edital de prover 5G nas capitais até o fim do primeiro semestre de 2022, o ministro explicou que será ainda uma cobertura limitada:

— Não é cobertura integral da capital. Mas nós teremos as 27 capitais com 5G. Talvez nas cidades mais distantes só será cumprido o mínimo necessário que consta no cronograma.

A entrevista completa, que pode ser lida aqui, o ministro falou sobre os principais obstáculos que ainda dificultam a expansão da infraestrutra de antenas e redes para tirar o 5G do papel e ampliar o acesso em pouco tempo.

E também comentou as agruras políticas do governo no Congresso, como a tramitação da PEC dos Precatórios.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos