6 erros grosseiros de arbitragem desde a implementação do VAR

Nathália Almeida

Desenvolvida com o objetivo de tornar o jogo de futebol mais justo, a tecnologia do árbitro de vídeo segue encontrando bastante resistência pelos quatro cantos do planeta. Utilizado pela primeira vez no ano de 2016, o VAR ainda gera grande polêmica, especialmente quando sua intervenção é falha ou não cumpre sua função de evitar/consertar um erro evidente. Entre diferentes ligas e torneios, em diferentes períodos, levantamos seis erros grotescos cometidos com a 'benção' do controverso VAR.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Confira:

Argentina x Brasil (Copa América 2019)

É bem verdade que nós, brasileiros, fomos felizes com o desfecho deste duelo em questão, já que saímos vitoriosos do clássico e posteriormente conquistamos a competição. Contudo, uma coisa não podemos negar: foi um jogo marcado por erros graves, especialmente o pênalti claro cometido por Daniel Alves em Sergio Agüero, destacado na imagem acima. Roddy Zambrano era o árbitro da partida, mas não foi chamado pelo VAR para revisar o lance.

Leia também:

Palmeiras x Botafogo (Brasileirão 2019)

A repercussão negativa sobre esta partida foi tão grande que o ​Botafogo chegou a judicializar a disputa, entrando com um processo de impugnação do jogo. Aqui, temos que culpar VAR e juiz de campo igualmente, já que a lambança foi dividida: disputa normal e Deyverson cai na área, o árbitro manda a partida seguir e apita o recomeço de jogo; o goleiro alvinegro dá a saída e, só então, o árbitro manda parar o jogo e vai ao VAR; por fim, assinala um pênalti que não existiu. Para piorar a situação da arbitragem, esse pênalti decidiu o jogo. 1 a 0 para o ​Palmeiras.

River Plate x Independiente (Libertadores 2018)

Quartas de final da ​Copa Libertadores de 2018. River e Independiente empatavam por 0 a 0 no Monumental pelo segundo jogo da eliminatória, quando Pinola, em uma tentativa de desarme, acertou em cheio (com as travas da chuteira) o meia-atacante Martin Benítez. Pênalti claro para o 'Rei de Copas', mas o árbitro brasileiro Anderson Daronco sequer reviu o lance.

CSA x Flamengo (Brasileirão 2019)

Sem dúvida, um dos lances mais polêmicos do Brasileirão 2019. CSA e ​Flamengo empatavam em 0 a 0 quando Apodi arriscou um chute forte, que ia em direção ao gol. Willian Arão entrou na rota da bola, com os braços totalmente abertos, e interceptou o lance. Acontece que a bola explodiu exatamente em seu braço esquerdo, configurando penalidade, já que o movimento é totalmente intencional e antinatural. Mas não foi assim que o juiz Douglas Marques das Flores interpretou: mesmo após consulta ao VAR, mandou o jogo seguir.

Sassuolo x Sampdoria (Serie A 2017/18)

Dezembro de 2017. O volante Lucas Torreira (Arsenal) ainda jogava na Sampdoria e, em uma partida contra o Sassuolo pelo Campeonato Italiano, exatamente no lance seguinte ao time rival desperdiçar um pênalti, se jogou em direção à bola com as duas mãos para conter o gol certo. O árbitro de campo já contava com o auxílio do VAR, mas não teve a decência de revisar.

Fluminense x CSA (Brasileirão 2019)​

O ​Fluminense vivia um momento gravíssimo no Brasileirão, ocupando a zona de rebaixamento, quando recebeu o então lanterna CSA no Maracanã. A partida foi um verdadeiro ataque contra defesa durante 90 minutos mas, o que o Tricolor não contava, é que a arbitragem de Wagner Reway (PB) lhe minaria as chances de triunfo. Dois pênaltis claros - um em Daniel e outro em Ganso, tocado dentro da área como mostra a foto acima -, ignorados pelo árbitro, que sequer buscou ou foi chamado ao VAR nos lances.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.