6 - Maison Alexandrine estreia sexy com coleção enxuta e sofisticada

PEDRO DINIZ E LUIGI TORRE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Marca de roupas sob-medida inaugurada no fim de 2016, a Maison Alexandrine estreou na São Paulo Fashion Week com coleção assinada pelo agente de modelos e estilista Dinho Batista.

A coleção enxuta, de apenas 27 looks, cumpriu seu propósito: mostrar uma moda de aspiração sofisticada, tanto na técnica de costura como na imagem.

No lugar dos excessos comuns à moda festa, Batista trabalhou com decorações contidas, como os tressês e tramas de fitas de cetim e gorgorão.

A técnica serviu ainda para dar estrutura a minijaquetas de alfaiataria, vestidos-camiseta e outras peças de corte geométrico, nem sempre de forma muito bem-sucedida.

Num dia marcado pelo manifesto pró-liberdade sexual e corporal da À La Garçonne, os recortes de tecidos transparentes e fendas contidas da Alexandrine também sugerem leituras para além da roupa. No caso da marca, sobre como o que é sexy e aceitável varia de acordo com a casta social de quem veste.