Ex-ministros de Temer levaram propina em obra de irrigação, dizem delatores

1 / 2

Temer e Geddel

Foto: Charles Sholl/Futura Press

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os ex-deputados Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves receberam propina da Odebrecht por causa de um projeto de irrigação no Piauí chamado Tabuleiros Litorâneos, segundo quatro delatores da Odebrecht.

Trechos dos depoimentos dos delatores foram liberados pelo ministro Edson Fachin, no Supremo, na noite desta terça (11).

O projeto de irrigação, no valor de R$ 120 milhões, foi vencido em 2008 por um consórcio formado pela Odebrecht e Queiroz Galvão.

Geddel teria recebido R$ 210 mil, e Eduardo Alves, R$ 112 mil. Os delatores dizem ter e-mails comprovando as negociações com os deputados. Geddel foi ministro da Integração Nacional no governo Lula quando houve a licitação da obra. Já Henrique Eduardo Alves foi presidente da Câmara entre 2013 e 2015.

A decisão do Supremo, que encaminha o caso para a Justiça do Piauí, não explica por que os ex-deputados teriam recebido suborno da empreiteira.

Os depoimentos dos delatores fala que houve acerto entre as empresas que disputaram a obra.

A reportagem não conseguiu localizar Geddel e Eduardo Alves na noite desta terça (11).