65 - Delatores relatam propina para influenciar Tribunal de Impostos de SP

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Delatores da Odebrecht afirmaram a investigadores da Operação Lava Jato que eram feitos "pagamentos indevidos" a agentes públicos para influenciar julgamentos do Tribunal de Impostos e Taxas de São Paulo (TIT).

O TIT é um órgão vinculado à Coordenadoria de Administração Tributária da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, responsável por julgar processos administrativos tributários.

Em decisão do último dia 4, tornada pública nesta terça (11), o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), enviou as menções ao TIT à Justiça Federal de primeira instância e à Procuradoria da República em São Paulo, devido à ausência de pessoas com foro privilegiado nessa investigação.

Os delatores são César Ramos Rocha e Márcio Faria da Silva, da Odebrecht.

Não há, no despacho de Fachin, nomes de quem teriam recebido os pagamentos em troca de favorecimento nos julgamentos do TIT.