7 de Setembro: PMs prometem tiros e ameaçam STF em grupos de WhatsApp

Policiais militares querem aderir a ato pró-Bolsonaro no 7 de Setembro. (Foto: Getty Images)
Policiais militares querem aderir a ato pró-Bolsonaro no 7 de Setembro. (Foto: Getty Images)

Policiais militares estão prometendo violência contra militantes de esquerda para o 7 de Setembro e ameaçando o Supremo Tribunal Federal via mensagens em grupos de Whatsapp. É o que mostra o monitoramento do Poder360 nas vésperas da programação pelo Dia da Independência. PMs prometem comparecer aos atos pró-Bolsonaro, manifestarem-se pela democracia e “cacete, bala e bomba nesses esquerdas”.

Mensagens como o “Esse para mim é o ponto fundamental, o STF é o câncer que corrói o Brasil” circulam pelo grupo “Linha de Frente Rio”; apoiadores dizem acreditar que Jair Bolsonaro (PL) vai 'acabar' com o Supremo Tribunal Federal. Em outro, apoiadores falam do possível resultado das próximas eleições: "Só RESTA dois caminhos pra BANDIDAGEM: MATAR Bolsonaro ou IMPUGNAR a chapa".

“Se a bandidagem CHEGAR a tanto, a REVOLTA POPULAR será DEVASTADORA para o STF e Congresso. NINGUÉM VAI segurar", foi outra mensagem enviada no grupo "Mike", com 230 participantes.

No grupo “Legião de Idealistas”, um dos usuários diz que o ministro do STF e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes está “apelando”. “Setembro até morte vai ter, pode esperar”, escreveu o usuário em mensagem.

Bolsonaro chegará em ato de motocicleta

Bolsonaro desembarca no Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 7 de setembro, para o ato do Dia da Independência. O mandatário deve chegar na capital fluminense por volta do meio dia e se deslocar para Copacabana, onde deve reunir apoiadores para a manifestação. Uma motociata com 25 mil motocicletas está programada para rodar a zona sul da cidade.

A programação do evento começa a partir das 9h, com uma fila com 22 navios da Marinha brasileira e de nações amigas que sai da da Barra da Tijuca em direção ao mar de Copacabana. No Forte serão disparados salvas de canhões; 800 apoiadores devem comparecer em jetskis.