7 de setembro: veja onde bolsonaristas furaram bloqueio e invadiram Esplanada

·3 minuto de leitura
Manifestantes e policais em Brasília
Manifestantes chegaram perto da Praça dos Três Poderes em Brasília ao romper bloqueio policial

Ao derrubar barreiras e invadir a Esplanada dos Ministérios na noite desta segunda (6/9), véspera do 7 de setembro, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro chegaram de caminhões, carros e a pé, perto da Praça dos Três Poderes, onde ficam o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto.

A Secretaria de Segurança do Distrito Federal (SSP/DF) confirma que os manifestantes "romperam barreiras de contenção colocadas no início da via S1 para bloquear o trânsito de veículos".

A via S1 é a pista sul do Eixo Monumental, que corre do oeste para leste, ou seja, da rodoviária à Esplanada dos Ministérios, com seis faixas de trânsito. Segundo o esquema de fechamento de vias do governo do Distrito Federal, veículos não poderiam entrar na Esplanada. Apesar disso, manifestantes parecem não ter encontrado resistência policial para derrubar as barreiras.

Mapa mostra prédios importantes na Esplanada dos Ministérios em Brasília e local em que manifestantes romperam as barreiras da polícia na manifestação do da 7 de setembro de 2021
Mapa mostra prédios importantes na Esplanada dos Ministérios em Brasília e local em que manifestantes romperam as barreiras da polícia na manifestação do da 7 de setembro de 2021

A primeira invasão se deu na pista sul do Eixo Monumental, em uma barreira policial depois da rodoviária, perto da Biblioteca Nacional e do Museu Nacional, antes da Catedral de Brasília.

"Nas reuniões realizadas previamente com os organizadores dos grupos manifestantes, ficou definido que os maquinários autorizados a participar do ato popular estariam liberados para serem estacionados ao longo da via N1, na madrugada de terça-feira (7). Importante ressaltar que a autorização permitia apenas exposição dos veículos, como já realizado anteriormente em outras manifestações", disse a SSP/DF, em nota.

A via N1 é na metade norte do Eixo Monumental, e corre sentido oeste, ou seja, da praça dos Três Poderes até a rodoviária.

Segundo reportagem do jornal O Globo, por volta das 20h, caminhoneiros e demais manifestantes "pressionaram policiais para ultrapassar o bloqueio e conseguiram acesso", derrubando grades de segurança ao longo da via.

À BBC News Brasil, a SSP/DF disse que a "Polícia Militar do Distrito Federal restabeleceu a situação", sem responder a outros questionamentos da reportagem.

A BBC News Brasil também questionou a Polícia Militar do DF sobre outra invasão dos manifestantes, mais à frente na via. Um vídeo mostra manifestantes a pé arrastando e derrubando barreiras e grades da polícia mais à frente na Esplanada, quase em frente ao Palácio do Itamaraty. "O povo toma conta, agora acabou!", diz o manifestante que grava o vídeo.

O Itamaraty fica a 450 metros do Congresso Nacional. O Supremo Tribunal Federal, instituição atacada por Bolsonaro e seus apoiadores, a 700 metros.

Na manhã desta terça (7/9), manifestantes em Brasília ainda se concentravam nessa área.

Guarda de costas embaixo de rampa em Brasília
Em Brasília, há temor de que manifestações no 7 de setembro cheguem à depredação de prédios públicos

Ministro 'comemora' invasão

Integrantes do governo Bolsonaro e políticos apoiadores do presidente comemoraram o avanço dos manifestantes na Esplanada dos Ministérios, embora isso signifique o descumprimento das ordens estabelecidas pela Secretaria de Segurança do Distrito Federal.

O ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, postou um vídeo da invasão no Twitter e escreveu: "Lindo ver Brasília ser tomada por pessoas de bem. Pessoas ordeiras, que só querem viver num país mais justo, mais livre e mais democrático. Tá bonito de ver!!! Viva o 07 de setembro!!!".

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) comemorou a presença dos manifestantes. "Se ontem já estava assim, imagina hoje!". Na manhã desta terça (7), ele pediu, porém, que os protestos não sejam violentos e que não haja vandalismo.

"Neste 7 de setembro, o povo vai às ruas de todo o Brasil para lutar por LIBERDADE e DEMOCRACIA. E, como sempre, não defendemos nenhum ato violento, de vandalismo ou qualquer tipo de agressão. Vamos protestar em paz, com a força do povo trabalhador e ordeiro."

Já o ministro do STF Alexandre de Moraes, um dos principais alvos de ataques verbais e ameaças de bolsonaristas, postou no Twitter que: "ameaças vazias e agressões covardes não afastarão o Supremo Tribunal Federal de exercer, com respeito e serenidade, sua missão constitucional de defesa e manutenção da Democracia e do Estado de Direito."

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos