78% dizem já estar totalmente decididos sobre voto a presidente, mostra Datafolha

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A parcela de eleitores que já se dizem totalmente decididos em relação ao voto para presidente chega a 78%, de acordo com a nova pesquisa Datafolha. Dentro desse grupo, 90% respondem que tomaram a decisão há mais de um mês, o que reforça a crescente convicção em relação à corrida eleitoral.

Entre aqueles entrevistados que declaram voto em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), os índices de certeza são superiores na comparação com a média. A certeza sobre a escolha é expressa por 86% dos eleitores de ambos.

Ainda segundo o Datafolha, 21% dos entrevistados dizem que seu voto ainda pode mudar. A pergunta sobre a certeza é feita não só àqueles que já têm candidato escolhido, mas também aos que optam por votar em branco ou anular.

Entre os homens, 18% ainda podem mudar de ideia antes de 2 de outubro. Entre as mulheres, o índice é de 24%. A indecisão também é superior à média entre os eleitores mais jovens, de 16 a 24 anos. Nessa faixa, 34% admitem rever sua posição até o dia do pleito.

Feito entre terça (13) e esta quinta-feira (15), o levantamento tem margem de erro geral de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, considerando um índice de confiança de 95%. O instituto ouviu 5.926 eleitores em 300 municípios. A pesquisa, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo, está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-04099/2022.

Ciro Gomes (PDT), que está em terceiro lugar na disputa, tem um eleitorado mais volátil do que Lula e Bolsonaro. No caso dele, 48% estão certos da escolha, mas 52% afirmam que ainda podem mudar.

Na fatia de eleitores que pretendem votar em branco ou nulo, 63% estão totalmente decididos.

O Datafolha perguntou ao conjunto de eleitores convictos da escolha sobre quando tomaram a decisão. A maioria (90%) responde que foi há mais de um mês. O restante diz que foi na última semana (3%), nos últimos 15 dias (3%) ou no último mês (4%).

Os 21% que formam o eleitorado volátil foram questionados sobre a opção que fariam caso mudem a escolha atual. Ciro é a opção mais citada como plano B (23%), seguido por Lula (20%) e Bolsonaro (15%).

Quando se olha especificamente para o eleitorado que hoje está com Ciro e cogita alterar a escolha, o resultado indica que a tendência é a migração para Lula. O ex-presidente é a segunda opção de 37% dos entrevistados que manifestam apoio ao pedetista atualmente. Bolsonaro é citado por 24%.