8 em 10 acham que Brasil terá novos casos de violência política, mostra pesquisa

*Arquivo* FOZ DO IGUAÇU, PR, 11.07.2022 - Enterro do petista Marcelo de Arruda em Foz do Iguaçu. Ele assassinado pelo policial penal bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho. (Paulo Lisboa/Folhapress)
*Arquivo* FOZ DO IGUAÇU, PR, 11.07.2022 - Enterro do petista Marcelo de Arruda em Foz do Iguaçu. Ele assassinado pelo policial penal bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho. (Paulo Lisboa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A maioria dos eleitores brasileiros acredita que novos episódios de violência política deverão ocorrer. Segundo levantamento do Instituto Locomotiva, essa é a percepção de 83% dos entrevistados.

O receio é ainda maior entre as eleitoras: 89% das mulheres temem que novas situações de violência política aconteçam no país.

A pesquisa foi realizada após o assassinato do militante petista Marcelo Aloizio de Arruda pelo policial penal bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho, em Foz do Iguaçu (PR).

Em 9 de julho, o agressor invadiu a festa de aniversário de Marcelo, que tinha temática inspirada no PT e no ex-presidente Lula, e atirou contra ele. Segundo testemunhas, Jorge gritou "aqui é Bolsonaro".

Dias antes do assassinato, um ato com apoiadores do ex-presidente Lula na Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro, foi alvo de um artefato explosivo. A bomba caseira foi lançada do lado de fora da área isolada em frente ao palanque, antes da chegada de Lula. Ninguém se feriu.

Segundo o levantamento do Instituto Locomotiva, 75% dos eleitores brasileiros ficaram sabendo sobre o assassinato do militante petista.

A pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 20 de julho. O instituto ouviu 1.303 pessoas com 16 anos ou mais por telefone. A margem de erro máxima estimada é de 2,7 pontos percentuais, para mais ou para menos.

As entrevistas ocorreram em todas as regiões do Brasil, levando em conta parâmetros do PNADC\IBGE para obter amostras representativas da constituição social da população brasileira.

Ainda segundo o estudo, 81% dos eleitores acreditam que os candidatos deveriam se empenhar mais no combate à violência política. A pesquisa também mostra que 45% dos eleitores já presenciaram algum tipo de violência política no último ano.

Para Renato Meirelles, do Instituto Locomotiva, além dos casos que ganharam repercussão nacional, a pesquisa revela que a violência política já se faz presente de modo silencioso no cotidiano de grande parte dos eleitores.

"Esse contexto de agressividade política difusa faz com que 83% dos eleitores temam que as eleições atuais ainda terão mais episódios de violência política. Uma das consequências perversas é o afastamento dos brasileiros médios do debate político".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos