'8 Presidentes 1 Juramento - A História de um Tempo Presente' estreia na TV Globo em formato de série

A partir desta segunda-feira (02), a TV Globo exibe a minissérie documental ‘8 Presidentes 1 Juramento – A História de um Tempo Presente’, em que resgata a história da política do Brasil desde o processo de redemocratização do país. A série tem como base o filme produzido pela Copacabana filmes em coprodução com a Globo Filmes, GloboNews e o Globoplay.

— A série cumpre a missão de conectar a eleição de 2022 com a história da política brasileira desde a constituinte e trazer as gerações seguintes para uma visita à nossa história viva. Os jovens estão encarregados de construir o nosso futuro. E para isso é fundamental que tenham conhecimento do que passou nas últimas décadas. A exibição em TV aberta aumenta muito a nossa responsabilidade ao propor um debate sobre a nossa política e a história do nosso tempo presente. Ela convida toda a população do país a fazer parte deste debate — diz a diretora da produção Carla Camurati.

A série tem como fio condutor registros captados pela imprensa nacional e estrangeira ao longo das décadas, além de materiais vindos do cinema, de jornais, revistas e de outras mídias. O fim da Ditadura Militar no Brasil e o movimento Diretas Já, em meados dos anos 80, são o ponto de partida da história.

Para a versão na TV Globo, um dos episódios ganhou conteúdo inédito em relação ao filme e inclui momentos marcantes das políticas adotadas pelo governo Bolsonaro até o processo eleitoral de 2022, que resultou na eleição de Lula como presidente da república, e as manifestações ocorridas em diversas partes do Brasil, após a divulgação do resultado das urnas.

— Queria uma mistura entre fatos e emoções e não de opiniões sobre essa vivência. E queria deixar em aberto para que o espectador criasse as suas impressões. Como não existem entrevistas feitas por mim, o filme acontece sempre no presente. Conseguimos um resultado onde é possível observar os protagonistas construindo a história no momento em que ela está acontecendo — conclui Camurati.