8 truques de nutricionistas para fazer os filhos adolescentes se alimentarem de forma saudável

Teenage Boy Eating Hamburger


Muitas vezes, fazer os adolescentes se alimentarem de forma saudável é um desafio. Eles sabem como se alimentar bem, mas, na hora de comer, acabam fazendo outras escolhas.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Essa é uma situação que todos os pais precisam enfrentar: até mesmo as nutricionistas têm dificuldade para fazer os filhos adolescentes se alimentarem melhor. A diferença é que, surpreendentemente, elas não se estressam com isso. "É importante entender que a alimentação dos adolescentes não é perfeita, e não devemos esperar isso deles", explica Karen Ansel, nutricionista e dietista, mãe de adolescente e autora do livro "Healthy in a Hurry",  ao Yahoo Vida e Estilo. "Isso não significa deixar que eles comam o que quiserem, mas criar bons hábitos leva muitos anos".

Leia também

Pode ser complicado porque eles "estão se desenvolvendo, se tornando independentes e desafiando a autoridade", diz Sonya Angelone, dietista, mãe de um adolescente e porta-voz da Academy of Nutrition and Dietetics. "Escolher o que querem ou não comer é uma forma de se sentirem mais autônomos", ela acrescenta. 

No geral, os adolescentes "priorizam a praticidade, o gosto e o preço", ou seja, alimentos como "fast food, pizza, salgadinhos e outros itens baratos que podem ser encontrados em lojas de conveniência", explica Samantha Cassetty, dietista com mestrado, mãe de um adolescente e especialista em nutrição e bem-estar.

Mas isso não significa que devemos deixá-los comer qualquer coisa. Então, confira alguns truques que essas nutricionistas usam com os filhos.

1. Apele para a vaidade deles
"Já aceitei que meu filho frequenta lanchonetes de fast food, pizzarias e, provavelmente, exagera nos doces. Isso faz parte do processo de crescer e aprender a se cuidar", explica Samantha. Mas ela aproveita essas situações para ensinar o filho. "Conversamos sobre coisas que ele percebe que acontecem quando não está se alimentando bem. Por exemplo, espinhas ou uma dor de estômago", conta ela. "Não é uma crítica, é uma análise para ajudá-lo a perceber que as opções alimentares têm consequências sobre como ele se sente. No fim das contas, ele pode usar essas informações para fazer escolhas diferentes, se quiser".

2. Peça para outra pessoa conversar com eles sobre nutrição

"Quando nos envolvemos demais, é como um tiro no pé", explica Karen. Ela descobriu que os adolescentes reagem melhor quando recebem as informações sobre alimentação saudável de uma pessoa que não faz parte da família. "Quando iam ao médico, meus filhos prestavam mais atenção do que quando eu falava", conta ela. "Quando eu falava, eles reviravam os olhos".

3. Sempre que puder, ofereça verduras

Os adolescentes estão sempre ocupados e dificilmente querem comer em casa, mas Samantha recomenda se esforçar para fazer refeições saudáveis em família sempre que possível. Ela conta que a família dela se reúne para jantar na "maioria das noites" e destaca que, nesses jantares, o filho come "pelo menos" duas porções de verduras. "Assim, ele sempre acaba comendo as verduras, um hábito muito saudável", ela diz. "Eu sei que ele não come muitas verduras fora de casa, então, aproveito essa oportunidade para incluir esses alimentos".

4. Acrescente mais sabores

Servir verduras cozidas no vapor não é a melhor maneira de chamar a atenção de um adolescente. Por isso, Samantha recomenda adicionar mais sabores, como nozes tostadas, um pouco de queijo, ervas, temperos e molhos de saladas, para ajudar a dar um gostinho a mais.

5. Enfoque os benefícios mais imediatos

"Provavelmente, eles ficarão mais interessados nos resultados imediatos", diz Karen. "Se você disser que comer bem deixa os ossos mais fortes, eles não vão se identificar". Em vez disso, ela sugere dizer aos adolescentes que a comida pode ajudar a aumentar a energia. "Por exemplo, se eles estiverem cansados o tempo todo, diga que comer de forma saudável pode deixá-los mais descansados e com mais energia", diz ela. No caso de adolescentes que praticam esportes, Sonya recomenda explicar o impacto dos alimentos sobre o desempenho. Fazer com que eles entendam o valor de uma boa nutrição para o desempenho nos esportes é essencial, ela diz.

6. Deixe coisas saudáveis à disposição

"Tenha sempre alimentos gostosos, saudáveis e fáceis de comer na cozinha", diz Sonya. Por exemplo, homus, guacamole, molho de tomate, verduras, bolachas integrais e patês, salada de frutas, cereais e leite com frutas, iogurte e frutas picadas, mix de sementes, sopas, chili e pão de milho integral.

7. Saia para comer com eles

Para fazer seus filhos comerem melhor, você precisa mostrar coisas novas. "Para mim, sempre foi mais fácil fazer os meus filhos experimentarem alimentos novos no restaurante", explica Karen. "Como ficam felizes em sair, eles experimentam os alimentos de uma forma nova e diferente e, provavelmente, a comida também é mais gostosa". Karen também destaca que, hoje em dia, os restaurantes de comida saudável são muito mais descolados, então, dá para levar os adolescentes a lugares especializados em alimentos nutritivos sem que eles percebam que a ideia era essa. "Nem precisamos dizer que a comida é saudável", ela explica.

8. Deixe que eles tomem algumas decisões

De acordo com Sonya, os jantares em que cada um monta o próprio taco, pizza ou até mesmo saladas podem ser uma forma divertida de dar aos adolescentes uma certa autonomia sobre o que comem e, ao mesmo tempo, oferecer alimentos saudáveis.

No geral, as nutricionistas dizem que a ideia é fazer o melhor dentro do possível. "Não se estresse demais com os hábitos alimentares dos filhos adolescentes", diz Samantha. "O principal é formar uma boa base para quando eles forem mais independentes". Karen concorda. "Se você continuar oferecendo as comidas certas, eles vão acabar gostando".