80% de empresas digitais podem sofrer ciberataque, diz estudo

·1 minuto de leitura
Foram consultadas 3,6 mil empresas em diferentes continentes. Foto: Getty Images.
Foram consultadas 3,6 mil empresas em diferentes continentes. Foto: Getty Images.
  • 20% afirmam ter sofrido mais de 7 ataques em 2020

  • Home office deixou sistemas mais vulneráveis

  • Foram consultadas 3,6 mil empresas em diferentes continentes

80% das empresas globais podem sofrer ciberataques no próximo ano. De acordo com a empresa de segurança digital Trend Micro, casos de companhias hackeadas recentemente como JBS, Grupo Fleury e Renner indicam o que pode virar comum nos próximos meses.

Das companhias entrevistadas, 20% afirmaram ter sofrido mais de 7 ataques virtuais em 2020. No ano anterior, apenas 17% dizem ter sofrido invasões.

A maioria dos ataques sofridos caem na categoria “man in the middle”, quando hackers capturam e-mails, mensagens ou transações bancárias fingindo se passar por uma fonte diferente. Outro tipo conhecido de ataque são os ransomware, em que dados da vítima são “sequestrados” e os criminosos pedem um resgate para desbloquear os sistemas.

De acordo com a pesquisa, o aumento da adoção de home office e o trânsito de dados tornaram os sistemas mais vulneráveis. Entre os maiores riscos, o estudo identificou a complexidade e a falta de alinhamento das organizações, além da utilização de provedores de nuvem.

Para o levantamento, foram consultadas 3,6 mil empresas de diferentes tamanhos e setores na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia.

As informações são do Estadão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos