• Schwarzenegger e Sarah Connor voltam em 'Exterminador do Futuro'
    Notícias
    AFP

    Schwarzenegger e Sarah Connor voltam em 'Exterminador do Futuro'

    Quase 30 anos após evitar o juízo final com seu filho John, a aguerrida Sarah Connor não tem descanso e retorna com "O Exterminador do Futuro: Dark Fate", cujas cenas foram compartilhadas nesta quinta-feira, na Comic-Con de San Diego, durante um painel com a participação dos atores Linda Hamilton e Arnold Schwarzenegger, e do diretor Tim Miller.

  • Trio é condenado à morte por homicídio de turistas escandinavas no Marrocos
    Notícias
    AFP

    Trio é condenado à morte por homicídio de turistas escandinavas no Marrocos

    Um tribunal antiterrorista marroquino condenou três homens à morte, nesta quinta-feira (18), pelo assassinato de duas turistas escandinavas, decapitadas no Marrocos em dezembro, em nome do grupo Estado Islâmico (EI).

  • Proposta do governo 'cala a advocacia e desprotege o cidadão', afirma OAB
    Notícias
    Folhapress

    Proposta do governo 'cala a advocacia e desprotege o cidadão', afirma OAB

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A OAB começou a se mobilizar contra uma proposta de emenda à Constituição, enviada pelo governo, que desobriga a inscrição em conselhos profissionais. Em nota divulgada nesta quinta (18), a entidade afirmou que o projeto foi apresentado "sem qualquer debate" e tem o propósito de "calar a advocacia e desproteger o cidadão". O presidente da OAB-SP Caio Augusto Silva dos Santos afirmou, em vídeo divulgado em redes sociais, que a PEC 108 promove um desmanche das entidades. O entendimento de Santos é que a proposta é inconstitucional e indevida. O projeto foi enviado à Câmara dos Deputados no dia 9 de julho e assinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo o texto, desde que a ausência de regulação não apresente "risco de dano concreto à vida, à saúde, à segurança ou à ordem social", a lei não estabelecerá limites à atividade profissional ou obrigação de inscrição em conselho profissional. Não é especificado em quais casos a flexibilização se aplica, mas a proposta prevê uma lei federal que delimita os poderes de fiscalização e sanção dos conselhos e determina um valor máximo de taxas, anuidade e multas. Além da OAB, o CFM (Conselho Federal de Medicina) pode ser atingido caso a PEC seja aprovada. Na nota, a OAB afirma que "a Ordem é responsável por uma rede protetiva para os advogados, que hoje sofrem as consequências da grave crise econômica que atinge o país --e que não dá sinais de trégua", e que a PEC que atingir "um dos maiores mecanismos de fomento da excelência profissional, que é o Exame de Ordem". O conselho afirma ter confiança de que o Congresso "rejeitará integralmente a PEC" e defende que a fiscalização do exercício profissional é um "instrumento de fortalecimento das atividades e dos serviços prestados à sociedade." Embates Não é a primeira vez que a OAB e o governo Bolsonaro entram em conflito. No final do ano passado, o presidente disse que "nós não podemos formar jovens no Brasil, em cinco anos, no caso dos bacharéis de direito, e depois submetê-los a serem advogados de luxo em escritórios de advocacia. Advogados de luxo não, boys de luxo de escritório de advocacia". Bolsonaro contestava a aplicação do Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos), então defendida por Luiz Henrique Mandetta, hoje Ministro da Saúde. Na época, Mandetta queria exigir a certificação de médicos brasileiros. Bolsonaro comparou a medida com o exame organizado pela OAB para exercer a advocacia. Em outro embate, Bolsonaro perguntou, em entrevista para a Rádio Jovem Pan no final de junho: "para que serve essa Ordem dos Advogados do Brasil a não ser para defender quem está à margem da lei?". O ataque aconteceu após a entidade recomendar o afastamento de Sergio Moro em decorrência das reportagens do site The Intercept Brasil que divulgaram diálogos do ministro da Justiça quando ele era juiz federal. No dia 5 de julho, a OAB foi uma das identidades a assinar uma nota sobre os riscos do trabalho infantil após o presidente afirmar, um dia antes, que trabalhou "com nove, dez anos de idade na fazenda" e não foi "prejudicado em nada." Na nota, as entidades afirmaram que "o fato de haver exemplos de pessoas que foram submetidas a tais práticas sem consequências não elimina constatação empírica de que o trabalho antes da idade permitida traz prejuízos".

  • Argentina relembra 25 anos de atentado
    AFP

    Argentina relembra 25 anos de atentado

    Argentinos se reuniram em frente ao local do atentado ao centro judaico Amia, em Buenos Aires. O pior ataque terrorista da história argentina segue impune até hoje e deixou 85 mortos.

  • Documentos judiciais ligam Trump com atos para esconder laços com  atriz pornô
    Notícias
    AFP

    Documentos judiciais ligam Trump com atos para esconder laços com atriz pornô

    Documentos da justiça americana publicados nesta quinta-feira ligam Donald Trump aos esforços feitos durante a campanha presidencial de 2016 para comprar o silêncio de duas mulheres que ameaçavam revelar alegadas relações antigas.

  • Damares diz que proteção a religiões africanas terá 'atenção especial' do governo Bolsonaro
    Notícias
    Folhapress

    Damares diz que proteção a religiões africanas terá 'atenção especial' do governo Bolsonaro

    WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - A ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) afirmou nesta quinta-feira (18) nos EUA que o governo Jair Bolsonaro vai promover uma série de iniciativas para garantir o exercício da liberdade religiosa no Brasil, com atenção especial às religiões de matrizes africanas. Durante evento no Departamento de Estado americano, a ministra disse ainda que o governo brasileiro está preocupado especialmente com a perseguição contra cristãos pelo mundo e que criará uma coordenação nacional e um comitê específico --chefiados por sua pasta-- para tratarem da proteção ao livre exercício religioso.  Damares, porém, não explicou ou deu detalhes sobre as ações que seriam desempenhadas pelos novos órgãos. "Aproveito a oportunidade para anunciar duas grandes iniciativas do governo brasileiro: instituiremos, nos próximos dias, um comitê nacional de liberdade religiosa e de crença. Será criada também, no âmbito do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, uma coordenação nacional destinada a promover ações e iniciativas para garantir o pleno exercício da liberdade religiosa. Será dada uma atenção especial às religiões de matriz africana", declarou a ministra. "O atual governo brasileiro está seriamente preocupado com os contínuos atos de intolerância e violência baseados em religião ou crença. Estamos particularmente apreensivos com a perseguição contra cristãos em diferentes partes do mundo. Não dá mais para admitir a perseguição e a morte de tantos cristão no mundo", completou. Em discurso de menos de quatro minutos, Damares afirmou que, para enfrentar a perseguição religiosa, é preciso "combater narrativas que promovam o ódio e repudiar legislações que restrinjam a liberdade religiosa", mas disse que essa não é apenas uma responsabilidade do governo federal. "Os líderes religiosos também desempenham papel central em razão da influência que exercem na sociedade." Parte da base eleitoral de Jair Bolsonaro é evangélica, assim como a ministra, e o presidente --que é católico-- diversas vezes é acusado por críticos e opositores de praticar discurso de ódio em relação a minorias. Damares participou nesta quinta de evento promovido pelo governo americano com diversas autoridades dos EUA e do mundo para tratar de liberdade religiosa. O presidente americano Donald Trump também tem parte de sua base ligada aos evangélicos e, por várias vezes, recorre a discursos agressivos, considerados racistas, para inflamar eleitores às vésperas da eleição.

  • ONU chega a acordo com rebeldes do Iêmen para retomar entrega de alimentos
    Notícias
    AFP

    ONU chega a acordo com rebeldes do Iêmen para retomar entrega de alimentos

    A ONU alcançou um princípio de acordo com os rebeldes huthis do Iêmen para retomar a entrega de ajuda alimentícia nas áreas sob controle do grupo - afirmou o diretor do Programa Mundial de Alimentos da ONU, David Beasley.

  • 'Gossip Girl' ganhará spin-off no serviço de streaming HBO Max
    Notícias
    HuffPost Brasil

    'Gossip Girl' ganhará spin-off no serviço de streaming HBO Max

    Nao houve noticia sobre o elenco nem se algum dos artistas da montagemoriginal, incluindo Blake Lively, Penn Badgely, Chace Crawford e LeightonMeester, voltarao

  • Notícias
    Agência Brasil

    Aplicativos e prefeitura selam pacto pela segurança no trânsito

    A Prefeitura de São Paulo,  por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT)  assinou, nesta quinta-feira (18) , termo de cooperação com as empresas brasileiras de entrega por aplicativo iFood e Loggi, com foco em medidas de segurança voltadas para os motociclistas que atuam nessas plataformas."A prefeitura vem discutindo, desde o início do ano, uma forma de as empresas que trabalham com aplicativos continuarem crescendo mas respeitando a vida, pois tivemos aumento no número de mortes de usuários de motos em São Paulo. Elas concordaram em assinar acordo com a prefeitura para que não haja mais bonificação por número de entregas, pois estimula o desrespeito às leis de trânsito. Vamos promover campanhas com a CET para orientar melhor os entregadores", disse o prefeito Bruno Covas.Segundo o prefeito, por enquanto não haverá sanção ou multa, mas ele pede a conscientização da população. "Por enquanto não há nenhuma perspectiva de multa em relação às outras, o que a gente espera agora, por parte da população, é uma sanção àquelas empresas que estimulam a morte, que desrespeitam a vida e que as pessoas possam utilizar os aplicativos que querem o crescimento, mas que também pensam no bem principal que é vida", sugeriu o prefeito esta manhã durante a assinatura do Programa de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos. Os aplicativos de entrega estudam formas de bonificar os motociclistas que mantenham boas práticas de conduta no trânsito. A iniciativa é resultado de diversas reuniões da atual gestão com representantes de empresas por aplicativos. As reuniões com a Secretaria de Mobilidade e Transportes aconteceram com as principais empresas do segmento, mas somente iFood e Loggi aceitaram assinar o termo de compromisso com a segurança no trânsito, dando início ao processo de conscientização.Serão criadas campanhas educativas e de segurança direcionadas aos entregadores, coordenadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que conscientizem sobre medidas fundamentais para segurança no trânsito.Segundo o prefeito, as tratativas continuam no sentido de encontrar uma melhor forma de bonificação aos motoristas. "Estamos buscando junto com elas, em especial as duas que assinaram, uma forma de bonificação não por entrega, mas por respeito à lei de trânsito, estimular o bom profissional para que ele possa receber mais pela sua atividade, é esse novo desafio que agora a gente vai discutir com esses aplicativos."  Entre as principais ações, destaca-se uma parceria para realização e divulgação de cursos de direção defensiva e pilotagem segura para motociclistas que atuam pelos aplicativos. Os treinamentos serão oferecidos pelo Centro de Treinamento e Educação de Trânsito da CET( CETET), que mantém esse serviço gratuitamente desde 1999.Também está prevista a criação de um grupo de trabalho para dar continuidade a essas discussões e desenvolver ações com foco em segurança. As medidas devem beneficiar cerca de 60 mil motociclistas que atuam nessas plataformas.A SMT,  por exemplo, proibiu recentemente a circulação de motos na pista expressa da Marginal Pinheiros, no sentido Castello Branco. Também  criou, no fim de 2018, a Câmara Temática de Motocicleta, que realiza reuniões mensais.

  • Irã insinua que EUA abateram um de seus próprios drones por engano
    Notícias
    AFP

    Irã insinua que EUA abateram um de seus próprios drones por engano

    Os Estados Unidos derrubaram um de seus próprios drones por engano no Estreito de Ormuz, afirmou nesta sexta-feira o vice-chanceler iraniano, Abbas Araghchi, negando que a República Islâmica tenha perdido um dispositivo de controle remoto no dia anterior.

  • 10 temperos para ter em casa e como usá-los
    Notícias
    HuffPost Brasil

    10 temperos para ter em casa e como usá-los

    Temperos e especiarias eram valiosissimas ha mais de 500 anos, na epoca dasgrandes navegaçoes e descobrimentos maritimos, e continuam reinando nascriaçoes de chefs renomados

  • Idoso sul-coreano se imola com fogo ante da embaixada do Japão em Seul
    Notícias
    AFP

    Idoso sul-coreano se imola com fogo ante da embaixada do Japão em Seul

    Um idoso sul-coreano se imolou em seu carro nesta sexta-feira em frente à embaixada do Japão em Seul, um incidente que ocorreu em plena tensão diplomática e comercial entre os dois países.

  • Governo cria Conselho Brasil-OCDE e revoga centenas de decretos
    Notícias
    Agência Brasil

    Governo cria Conselho Brasil-OCDE e revoga centenas de decretos

    Em evento que marcou a passagem dos 200 dias de seu governo, o presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (18) o decreto que cria o conselho que vai acompanhar a adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O colegiado será responsável pela aprovação da estratégia de preparação, acompanhamento e adesão do Brasil ao órgão, além da política de comunicação do processo. Pelo decreto, vão compor o conselho o ministro-chefe da Casa Civil, que será o coordenador, e os ministros das Relações Exteriores, da Economia e da Secretaria-Geral da Presidência da República. O ministro Onyx Lorenzoni anuncia medidas assinadas pelo presidente Jair Bolsonaro - Valter Campanato/Agência BrasilCom o apoio formal dos Estados Unidos ao governo brasileiro, o país se tornou forte candidato a se tornar membro pleno da organização. Além do Brasil, são candidatos: Argentina, Romênia, Croácia, Hungria e Bulgária. Destes, o Brasil é o que está mais avançado na disputa, assumindo a liderança com folga sobre os demais, já tendo adotado cerca de 30% dos instrumentos exigidos pela OCDE.Para se tornar membro pleno da instituição, o Brasil dependerá ainda da aprovação dos seguintes países europeus: Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Grécia, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, Suécia, Suíça, Alemanha, Espanha, Finlândia, República Tcheca, Polônia, Eslováquia, Eslovênia, Estônia, Letônia e Lituânia. Fora da Europa, além dos Estados Unidos, o Brasil precisará do respaldo da Austrália, do Canadá, do Japão, de Israel, da Coreia do Sul, do México, do Chile e da Nova Zelândia.O tempo necessário que um país passe a integrar a OCDE é de 2 a 3 anos. Durante esse período, o país-candidato terá que adaptar toda a sua legislação aos regulamentos das nações integrantes da OCDE. "Desde a transição, nós estamos trabalhando no padrão de governança da OCDE", afirmou o chefe da Casa Civil, ministro Onyx Lorenzoni, no discurso sobre os 200 dias de governo. O ingresso de um país no grupo de nações que compõem a OCDE traz benefícios em vários setores, especialmente na atração de investimentos. Grupos econômicos e financeiros normalmente dão prioridade aos países-membros da OCDE porque estes já adaptaram suas regras econômicas ao padrão de competitividade e inovação tecnológica própria dos países altamente industrializados. Decretos revogadosNa cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro assinou também a revogação de 324 decretos considerados implicitamente revogados ou com validade prejudicada, com o intuito de simplificar o arcabouço legal brasileiro. Um projeto de lei ainda será encaminhado ao Congresso Nacional para extinção de 583 leis e decretos-lei que já não tem mais aplicação prática. CinemaOutro decreto assinado hoje determina a transferência do Conselho Superior do Cinema do Ministério da Cidadania para a estrutura da Casa Civil da Presidência da República. Ao justificar a medida, em entrevista à imprensa, Onyx argumentou que o conselho já esteve na Casa Civil e que é preciso acompanhar melhor o retorno dos investimentos públicos no cinema. "O CNC volta para a casa onde ele nasceu. A [ex-presidente] Dilma [Rousseff], porque tinha uma relação com o ministro da Cultura da época, mandou para lá. Ele [conselho] está apenas voltando, no nosso entendimento, para onde nunca deveria ter saído. Política pública de cinema precisa ter apoio, sim, mas também precisa de resultado", afirmou. Segundo o ministro, o modelo de fomento do setor hoje não tem uma "métrica" adequada para avaliar o impacto dos projetos que têm financiamento público. "Para levar recurso público, tem que ter retorno. A métrica é se tem, ou não, retorno, se tem, ou não, qualidade", acrescentou. Ocupação de cargosEm outra medida, o presidente Jair Bolsonaro estendeu os critérios gerais de ocupação de cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) e das funções comissionadas do Poder Executivo aos demais cargos em comissão e funções de confiança da administração federal direta, autárquica e fundacional, com validade a partir de 1º de agosto. Entre os critérios estendidos estão idoneidade moral e reputação ilibada, perfil profissional ou formação acadêmica compatível com o cargo ou a função para a qual a pessoa tenha sido indicada. O subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Humberto Moura, fala à imprensa - Valter Campanato/Agência Brasil"É apenas um ajuste, é uma medida que uniformiza os critérios para toda a administração pública, para que todos os cargos cumpram os mesmos requisitos objetivos. Eventualmente, se a pessoa não cumprir aqueles objetivos, existe um grau de discrionaridade para que o minsitro daquela pasta possa possa nomear a pessoa", afirmou Humberto Moura, da Subchefia de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, em entrevista a jornalistas após a cerimônia.O ministro Onyx Lorenzoni aproveitou para anunciar que o governo pretende cortar mais 25 mil cargos e funções gratificadas no Poder Executivo. "O que nós estamos trabalhando e espera que lá nos 300 dias [de governo] a gente consiga anunciar, é mais 25 mil cargos em comissão que serão cortados. Já cortamos 21 mil, vamos caminhar para cortar 25 mil". Segundo o ministro, são cerca de 60 mil cargos e funções apenas nas instituições federais de ensino. DPUO presidente também editou medida provisória para permitir que a Defensoria Pública da União (DPU) mantenha a situação atual de pessoal de apoio com os funcionários requisitados de outros órgçaos da administração federal direta, autárquica e fundacional. "Essa garantia vale até um ano após a lei complementar que poderá alterar o método de correção do teto de gasto público estabelecido pelo Novo Regime Fiscal (Emenda Constitucional nº 95/2016), ocasião em que será verificado o espaço orçamentário para a estruturação das carreiras da DPU", infirmou o Planalto.(61) 3325-8595Assista na TV Brasil: Bolsonaro participa de cerimônia que marcou 200 dias de governoSaiba o que muda com a entrada do Brasil na OCDE na reportagem da TV Brasil:

  • Brumadinho: Última vítima ainda internada recebe alta médica
    Notícias
    Yahoo Notícias

    Brumadinho: Última vítima ainda internada recebe alta médica

    A jovem de 16 anos estava internada desde o dia 25 de janeiro, data do rompimento, e foi liberada nesta quarta-feira (17)

  • Motorista mata homem após avançar sobre manifestantes do MST em SP
    Notícias
    Folhapress

    Motorista mata homem após avançar sobre manifestantes do MST em SP

    CAMPINAS, SP (FOLHAPRESS) - Um homem de 73 anos morreu na manhã desta quinta-feira (18) após ser atropelado durante um ato realizado pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) em Valinhos (a 95 km de São Paulo). Luiz Ferreira da Costa era morador do acampamento Marielle Vive, às margens da estrada do Jequitibá, que liga Valinhos a Itatiba. Por volta das 8h, ele participava de um protesto na rodovia, junto com outros moradores do acampamento, para cobrar a ligação de água e o acesso a serviços de educação e saúde para a comunidade. O grupo, de cerca de 400 pessoas segundo o MST, distribuía panfletos na rodovia, que é de pista simples —uma das faixas estava fechada e o fluxo de veículos foi desviado para a outra faixa. Segundo a coordenação estadual do MST, cerca de mil famílias vivem no local desde abril de 2018. O advogado da ocupação, Alfredo Bonardo, disse que Costa foi atingido pelo motorista de uma picape Mitsubishi L200, que desrespeitou o bloqueio da pista e avançou sobre o grupo de manifestantes. O homem foi socorrido pelos bombeiros e morreu a caminho da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da cidade. Segundo Bonardo, um grupo de moradores perseguiu o motorista da caminhonete e conseguiu alcançá-lo, mas ele mostrou que estava armado e fugiu. O advogado também disse que não havia autoridades policiais acompanhando a manifestação. Foram os próprios acampados que organizaram o fechamento da pista. No fim da tarde, a polícia deteve José Luiz Ribeiro, 64, suspeito pela morte de Costa. Os investigadores chegaram até a caminhonete por meio de imagens obtidas pela câmera de um ônibus que ficou parado devido à manifestação. Ele estava sendo interrogado na delegacia até o início da noite. Segundo a polícia, o suspeito confessou ser o atropelador. Além de Costa, um jornalista também foi atingido. Ele foi contratado pelo MST para fazer imagens da manifestação, teve ferimentos leves e foi levado à UPA, onde passa por avaliação médica e não corre risco. Após o acidente, os manifestantes fecharam a pista para a realização de uma missa. A Polícia Militar e a Guarda Municipal acompanharam o novo ato. Por volta das 11h15, o tráfego foi totalmente liberado. O caso será investigado pela Delegacia de Valinhos. Em nota, o MST condenou a violência do motorista. "Exigimos a punição imediata a este assassino, que age sob o clima de terror contra os movimentos populares", informou. Luiz Ferreira Costa deixa mulher e quatro filhos. O velório e enterro serão nesta sexta-feira (19), a partir das 13h, no Cemitério de Hortolândia. Em nota, a Prefeitura de Valinhos disse lamentar profundamente o ocorrido e informou que o Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (Daev) iniciou nesta quarta-feira (17) o fornecimento de água potável aos moradores. "Além disso, o Daev também já providenciou a compra de um reservatório com capacidade para 10 mil litros de água que será instalado no acampamento na próxima semana. O protesto causou surpresa à direção do Daev, já que estas tratativas vinham sendo discutidas com as lideranças locais do movimento de forma clara e objetiva", diz a nota. "Vale ainda lembrar que o município já atende os moradores do acampamento no que se refere às questões de saúde e educação. Todos têm atenção médica disponível nas Unidades Básicas de Saúde e na Unidade de Pronto Atendimento, assim como todas as famílias que procuraram a Secretaria de Educação puderam matricular suas crianças em unidades educacionais da rede pública e estão utilizando o transporte escolar gratuito com essa finalidade", afirma a nota.

  • Decisão não proíbe que Coaf e Receita repassem dados globais, diz Toffoli
    Notícias
    Folhapress

    Decisão não proíbe que Coaf e Receita repassem dados globais, diz Toffoli

    BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, reafirmou nesta quinta-feira (18) que sua decisão de suspender investigações que tenham usado, sem autorização judicial, dados pormenorizados de órgãos de controle -como Coaf, Receita e Banco Central- não impede que esses órgãos repassem dados globais ao Ministério Público. Dados globais são nome e valor movimentado em determinado período de tempo. Já dados detalhados permitem identificar, por exemplo, como o dinheiro foi gasto, data e hora de depósito, entre outros pontos. Para Toffoli, tais detalhes equivalem a uma quebra de sigilo, que requer aval da Justiça. Em sua decisão, de segunda-feira (15), Toffoli mencionou que o plenário do STF já decidiu anteriormente, quando julgou ações que discutiam o compartilhamento de dados pela Receita Federal, que a iniciativa é constitucional, desde que as informações sejam gerais. A decisão do presidente do tribunal atendeu a um pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), e tem sido criticada pelo Ministério Público, que prevê impacto em investigações em curso. Flávio é alvo de inquérito do Ministério Público do Rio de Janeiro sob suspeita de ter desviado salários de funcionários de seu antigo gabinete na Assembleia fluminense, e seu caso é um dos suspensos. "Eu fui o relator do caso julgado no plenário do Supremo, e o caso que é julgado em plenário é que forma a jurisprudência como um todo. Nesse caso, eu votei pela constitucionalidade do compartilhamento de informações na forma como está na Lei Complementar 105. Qual é? As informações globais. As informações detalhadas dependem de prévia autorização do Judiciário", disse Toffoli. "Isto é da seguinte forma que se dá: um cidadão diz que tem R$ 1 milhão de patrimônio, e teve R$ 100 mil de renda no ano anterior, quando faz a sua declaração. Se o Coaf identifica que essa pessoa movimentou R$ 10 milhões, tendo só R$ 1 milhão de patrimônio e R$ 100 mil de renda, existe um desvio", exemplificou. "[O Coaf] Comunica o Ministério Público, o Ministério Público pede a quebra de sigilo ao Judiciário, o Judiciário faz a quebra de sigilo, e isso tem um controle do Judiciário. Se não é feito dessa forma, se o detalhamento é feito sem a participação do Judiciário, qualquer cidadão brasileiro está sujeito a um vasculhamento na sua intimidade. E isso é uma defesa do cidadão." Toffoli deu as declarações a jornalistas em Cuiabá (MT), onde visita tribunais como parte de uma série de visitas institucionais a órgãos do Judiciário nos estados. Como noticiado nesta quinta, o presidente do Supremo disse à Folha de S.Paulo que um Estado que não quer estar sob o controle do Judiciário é "fascista e policialesco". "Só não quer o controle do Judiciário quem quer Estado fascista e policialesco, que escolhe suas vítimas. Ao invés de Justiça, querem vingança", declarou. Segundo o ministro, nenhuma investigação está proibida, desde que haja prévia autorização da Justiça. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, avalia o impacto da decisão de Toffoli para um eventual recurso. A determinação do magistrado suspendeu todas as investigações e ações penais, em todo o país, que tenham usado dados detalhados dos órgãos de controle até que o plenário do STF dê a palavra final sobre o tema, previsto para ser debatido em 21 de novembro. Questionado em Cuiabá, Toffoli não respondeu se existe a possibilidade de ele antecipar esse julgamento no plenário.

  • Suspeito de matar PM em assalto é preso e depois solto, diz polícia
    Notícias
    Folhapress

    Suspeito de matar PM em assalto é preso e depois solto, diz polícia

    Os dois irmãos entraram no bar e anunciaram o assalto. O PM se identificou, entrou armado no local, deu dois disparos, mas foi atingido

  • Notícias
    Agência Brasil

    Bolsonaro inaugura terça-feira na Bahia o Aeroporto Glauber Rocha

    O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, inauguram, na próxima terça-feira (23), o Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, na Bahia. Localizada a 518 quilômetros de Salvador, a cidade receberá o novo aeroporto com capacidade para atender até 500 mil passageiros por ano. Este foi um dos assuntos desta quinta-feira (18), durante a transmissão semanal ao vivo do presidente em sua página oficial no Facebook.“Trata-se da maior obra de aviação regional do Brasil, [a] que o governo deu continuidade mostrando compromisso com a infraestrutura e que infraestrutura para o governo Bolsonaro é uma questão de Estado. Então, o governo vai concluir, entregar essa obra à sociedade baiana. É importante para aviação regional, para conectividade do estado”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.Ao todo, a obra recebeu investimento de R$ 106 milhões, dos quais R$ 75 milhões oriundos do governo federal e R$ 31 milhões do estadual. O novo aeroporto tem pista de pouso e decolagem de 2.100 metros com 45 metros de largura e pátio tem capacidade para até cinco aviões. Segundo Tarcísio Freitas, o novo aeroporto viabilizará o recebimento de mais voos comerciais pela região. ObrasDe acordo com o presidente Jair Bolsonaro, a meta do governo federal é concluir obras inacabadas pelo país. Segundo Tarsício Freitas, atualmente o país tem cerca de 14 mil obras inacabadas. “O mérito do [ministro] Tarcísio é não deixar a obra parada, é concluir a obra. Nós não pretendemos iniciar nenhuma obra, mas a nossa ideia é concluir o que foi feito”, ressaltou o presidente.  O ministro destacou ainda a conclusão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), que ligará o futuro Porto de Ilhéus (no litoral baiano) a Figueirópolis (em Tocantins). Com aproximadamente 1.527 quilômetros de extensão, a FIOL se conectará à Ferrovia Norte-Sul.“Essa ferrovia deve ser concessionada no início do ano que vem, em 2020. Mas as obras vão ter continuidade, com recursos garantidos pelo governo federal”, afirmou.  200 diasO presidente Jair Bolsonaro participou, na tarde desta quinta-feira, de cerimônia alusiva aos seus 200 dias de governo. Para marcar a data, o presidente anunciou várias medidas, como a revogação de normas e decretos que desburocratizam a administração pública.Bolsonaro também assinou a regulamentação do Selo Arte, que permite a venda de produtos artesanais de origem animal em todo o país. A medida deve beneficiar, por exemplo, produtores de queijos, doces e embutidos.

  • O popular aplicativo FaceApp é questionado nos EUA
    Notícias
    AFP

    O popular aplicativo FaceApp é questionado nos EUA

    O popular aplicativo FaceApp, criado na Rússia e que permite aos usuários visualizar como ficariam mais jovens ou mais velhos, é motivo de polêmica nos Estados Unidos, onde um senador pediu ao FBI que investigue seus riscos potenciais à "segurança nacional e à privacidade".

  • MEC quer Revalida para médico estrangeiro duas vezes por ano e aula extra em faculdade
    Notícias
    Folhapress

    MEC quer Revalida para médico estrangeiro duas vezes por ano e aula extra em faculdade

    BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Educação prepara mudanças nas regras atuais para revalidação de diplomas de médicos brasileiros e estrangeiros formados no exterior. Entre as medidas, está aumentar a frequência de aplicação da prova conhecida como Revalida, repassar a responsabilidade por parte da prova para o Conselho Federal de Medicina e permitir que médicos façam a complementação dos currículos em faculdades privadas. As propostas ocorrem em um momento em que o governo enfrenta um impasse diante do aumento no número de médicos brasileiros formados em faculdades do exterior e da permanência de parte dos médicos cubanos que atuavam no Brasil no programa Mais Médicos. As medidas foram elaboradas por meio de um grupo de trabalho criado em maio, e cujas atividades foram finalizadas nesta semana. Atualmente, médicos estrangeiros podem buscar a revalidação dos diplomas de duas formas. A primeira é por meio de um exame, conhecido como Revalida, o qual é composto de duas fases: uma teórica, com questões objetivas, e outra prática, de habilidades clínicas. Um segundo modelo é a revalidação feita diretamente junto a algumas universidades, que fazem análise dos currículos e podem solicitar a complementação curricular. O processo, porém, tem sido alvo de entraves nos últimos anos. A última edição do Revalida, por exemplo, iniciou em 2017 e teve a segunda fase aplicada com atraso no último ano devido a ações judiciais. Desde então, não há previsão de novas provas. Agora, a ideia do governo é que o exame passe a ser realizado em duas vezes ao ano -hoje, não há periodicidade definida. Já a responsabilidade pela elaboração das provas passaria do Inep, instituto do ministério responsável por avaliações educacionais, para a Sesu (Secretaria de Ensino Superior), com colaboração do Conselho Federal de Medicina. Neste caso, a ideia é que a Sesu fique responsável pela primeira etapa. Já a segunda fase caberia ao conselho. Em outra medida, o ministério avalia a possibilidade de permitir que médicos aprovados na primeira etapa possam ir direto para a segunda fase caso sejam reprovados numa primeira tentativa. Outra proposta é flexibilizar a revalidação dos diplomas para médicos formados em escolas estrangeiras que possuem sistema de acreditação com parâmetros de qualidade. Em outra frente, o MEC avalia criar novas regras para complementação curricular. Neste caso, médicos podem fazer aulas extras de disciplinas que não foram cursadas, mas que são consideradas necessárias para atuação no Brasil. Hoje, essa prerrogativa cabe às universidades públicas. Agora, a proposta é que essa função também possa ser feita por faculdades privadas com melhor desempenho em avaliações feitas pela pasta. A medida, porém, preocupa entidades médicas que fizeram parte do grupo de trabalho. "Isso vai criar uma situação que não vamos conseguir saber se o médico tem qualidade ou não. Sabemos que, se jogar isso para o mercado privado, vai virar um 'quem pagou, entrou'", afirma o vice-presidente da Associação Médica Brasileira, Diogo Leite Sampaio. Ele diz que, caso a proposta seja mantida, a associação deverá entrar na Justiça para impedir a mudança. O vice-presidente do CFM, Mauro Ribeiro, também diz ver a medida com ressalvas. "Quando fala em faculdade privada, se pressupõe que as pessoas vão pagar pela complementação. Isso é minimizar o quanto se utiliza a universidade pública. Quando vai para privada, a gente perde o controle sobre esse tipo de ação", afirma. Segundo ele, o pedido para que o conselho assumisse a elaboração de parte das provas foi feito pela Inep, ainda na gestão Michel Temer (MDB).  Ele pede, no entanto, que a mudança não ocorra apenas por portaria. "Como todo o custo administrativo ficaria conosco, teríamos que ter garantia legal. Vamos ter que contratar funcionários e ter departamento", disse. "Não pode ser uma coisa que faz esse grau de investimento e depois revoga", afirma. Questionado, o MEC afirmou que as faculdades não seriam responsáveis pela revalidação, "mas sim poderão firmar acordo com as universidades públicas revalidadoras para complementação curricular". A previsão é que as mudanças ocorram por meio de uma portaria conjunta com o Ministério da Saúde. Ainda não há previsão de quando as alterações devem ser publicadas.

  • Começa temporada de observação de baleias no Uruguai
    Notícias
    Agência Brasil

    Começa temporada de observação de baleias no Uruguai

    As baleias já chegaram à costa uruguaia. Os animais aproveitam as águas tranquilas da região para fazer uma escala em sua rota migratória. Param para acasalar, dar à luz e realizar os primeiros cuidados com os filhotes. Durante a temporada de avistamento, entre julho e outubro, as baleias se preparam para seguir a viagem que começou na Antártida e segue rumo às águas mornas de Santa Catarina, no Brasil.A espécie avistada é a baleia franca austral (Eubalaena australis), que chega a medir 16 metros de comprimento e pesa entre 45 toneladas e 60 toneladas. Não se sabe ao certo quanto tempo vivem esses animais, mas se presume que entre 50 anos e 70 anos. A aproximação de baleias do Porto de Santos (SP), o maior da América Latina, nas últimas semanas, chamou a atenção da população - Projeto Baleia Jubarte/PetrobrasPara ver as baleias é preciso ter paciência, mas há sinais que podem ajudar. A presença de uma revoada de gaivotas, por exemplo, pode ser um indicativo, já que esses pássaros gostam de se agitar no vapor de água que eles produzem ao expirar. CaracterísticasA respiração das baleias franca é uma característica que as diferencia de outros grandes cetáceos. Elas exalam em forma de V devido a dois orifícios respiratórios que têm na cabeça. A nuvem de vapor, consequência da expiração para esvaziar os pulmões, pode alcançar 4 metros de altura.Elas se deslocam a uma velocidade entre 15 km/h e 30 km/h e se alimentam de pequenos organismos, principalmente de krill, um cetáceo pequeno parecido ao camarão, que filtram através de barbas largas.A Organização de Conservação de Cetáceos do Uruguai (OCC) informou que 26 espécies de cetáceos já foram registradas nas águas do país, entre elas, a baleia franca austral, o golfinho franciscana e as orcas. PreservaçãoEssa espécie, que chegou a contar com pelo menos 300 mil exemplares, já esteve ameaçada de extinção. Atualmente estima-se que existam cerca de 7 mil animais. Segundo o Ministério do Turismo uruguaio, graças ao trabalho de conservação, a população da baleia franca austral cresce a uma taxa anual de 7%.Em 2013, o país foi declarado "santuário de baleias e golfinhos", e proíbe qualquer ação que cause dano aos animais, como caça, perseguição, pesca, apropriação ou processos de transformação e comércio de qualquer espécie de cetáceos. ObservaçãoExistem nove plataformas costeiras de avistamento, estrategicamente situadas para a observação dos enormes mamíferos a partir das praias do leste uruguaio. Há também empresas que fazem passeios de barco para a observação não apenas das baleias, mas também de lobos-marinhos, albatrozes e tartarugas. Os pontos de melhor observação estão nas localidades de Piriapolis, Punta del Este, La Paloma, La Pedrera, Santa Teresa e Cerro Verde.A forma menos agressiva de avistamento é com binóculos, desde as praias. Essa modalidade evita a invasão do espaço dos animais e não impacta o meio ambiente.

  • Notícias
    Agência Brasil

    Motorista avança em manifestação e mata trabalhador rural

    Um motorista avançou hoje (18) com uma caminhonete sobre manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em Valinhos, no interior paulista, matando um homem de 72 anos e ferindo outras pessoas. A prefeitura confirmou a morte do idoso.A Secretaria de Segurança Pública (SSP) e o MST informaram que Luiz Ferreira da Costa, integrante do movimento, foi levado de ambulância para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Valinhos, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo a SSP, o local está sendo periciado e já foram requisitados exames para as vítimas no Instituto Médico Legal (IML). O caso está sendo investigado pelo 1º Distrito Policial de Valinhos como homicídio simples e lesão corporal. A Polícia Civil faz diligências para identificar o motorista.A Polícia Militar informou que os manifestantes fechavam a Estrada de Jequitibá, impedindo a passagem de veículos, quando um motorista, ainda não identificado, avançou sobre os manifestantes por volta das 8h da manhã. Três pessoas foram socorridas. O motorista fugiu sem prestar socorro.De acordo com o MST, os manifestantes estavam à altura do km 7, em frente ao acampamento, quando foram surpreendidos pela caminhonete em alta velocidade. De acordo com o movimento, há vários feridos. No protesto, as famílias pressionavam a prefeitura por fornecimento de água para o acampamento.A prefeitura de Valinhos disse que os integrantes do acampamento estão cadastrados no órgão e que são atendidos nos serviços de saúde e educação do município. O órgão disse ainda que tem fornecido água à ocupação por meio de caminhões-pipa.

  • Notícias
    Folhapress

    Estudante negro é agredido por seguranças em rodoviária de Salvador

    SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O estudante universitário Vinícius Vieira foi agredido por fiscais e seguranças da estação rodoviária de Salvador na madrugada desta quarta-feira (17). Estudante da Unilab (Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira), em São Francisco do Conde (a 81 km de Salvador), Vinícius é da cidade de Ilhéus, sul do estado, e mora no alojamento da universidade. Ele havia desembarcado em Salvador por volta de 1h vindo de Ilhéus, onde foi visitar a família. Resolveu esperar na própria rodoviária para pegar o ônibus para São Francisco do Conde ao amanhecer. Quando estava sentado sob um dos quiosques da rodoviária, estudando, foi abordado pelos fiscais e seguranças, que tentaram o expulsar do local. Em uma rede social, Vinícius conta que fiscais e seguranças da rodoviária agiram de forma truculenta. Parte das agressões foi gravada em um vídeo feito com o telefone celular. No vídeo, os seguranças aparecem dando tapas e empurrões no estudante. "O senhor está me ferindo. O senhor não pode me agredir. Estou sendo agredido pelos fiscais da rodoviária. Sou estudante universitário, você não pode me agredir dessa forma", disse o estudante enquanto era agredido. Ele diz que viu os seguranças afirmarem aos policiais que desconfiaram que ele pudesse ser um infrator. Na manhã de quarta, Vinícius prestou queixa em uma delegacia e fez exame de corpo de delito. O vereador Marcos Mendes (PSOL), que deu acompanhou o caso, afirma que a ação contra Vinícius pode ser enquadrada como um episódio de racismo institucional --o estudante é negro. Também destaca o agravante de o caso ter acontecido dentro da rodoviária, estrutura que pertence ao governo do Estado.   Concessionária da rodoviária de Salvador, a empresa Sinart informou que lamenta o episódio e que os funcionários que agrediram o estudante ficarão afastados enquanto o caso estiver em investigação. "A Sinart preza pela humanização do atendimento e respeito a todos os usuários e que não compactua e repudia quaisquer atitudes de violência ou preconceito, seja verbal ou físico", disse a empresa em nota. A Agerba, agência reguladora do setor de transportes ligada ao governo da Bahia, informou que repudia quaisquer atos de abuso e violência e disse que está apurando a situação.  ANTECEDENTE Esse não é o primeiro caso de racismo e violência física registrado em Salvador neste ano. Em fevereiro, o microempresário Crispim Terral, 34, foi imobilizado por policiais militares  dentro de uma agência da Caixa Econômica Federal.  Primeiro o banco afirmou, em nota, que não havia identificado nenhuma atitude discriminatória de seus funcionários. Dias depois, no entanto, afastou o  gerente da agência.

  • Notícias
    Agência Brasil

    Nathalie conquista primeiro ouro para a esgrima brasileira

    A brasileira Nathalie Moellhausen conquistou nesta quinta-feira (18), em Budapeste, a medalha de ouro no Campeonato Mundial de Esgrima. O resultado é inédito para a esgrima brasileira.Ao comemorar a vitória de Nathalie, o presidente da Confederação Brasileira de Esgrima, Ricardo Machado, classificou de "espetacular" o feito da atleta. "Espetacular, Nathalie! Nos encheu de orgulho! A esgrima brasileira está em festa e, agora, somos todos campeões mundiais!", disse Ricardo Machado.Italiana naturalizada brasileira, Nathalie tem 33 anos e derrotou na final individual de espada a chinesa Sheng Lin.Antes de competir pelo Brasil, Nathalie defendia a Itália. Nos Jogos Pan-Americanos de 2015, ela conquistou a medalha de bronze e, nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, chegou às quartas de final, terminando entre as oito melhores da compeição. Foi escolhida a melhor esgrimista do ano no Prêmio Brasil Olímpico de 2018.*Com informações da Confederação Brasileira de Esgrima e do Time Brasil.

  • Notícias
    Agência Brasil

    Procon notifica FaceApp, Apple e Google

    A Fundação Procon de São Paulo notificou hoje (18) o aplicativo FaceApp e as empresas Apple e Google, proprietárias das lojas virtuais que disponibilizam o aplicativo. De acordo com o Procon, as empresas deverão esclarecer a a políticas de coleta, armazenamento e uso dos dados dos consumidores que utilizam o aplicativo de celular.“Informações divulgadas na imprensa afirmam que a licença para uso do aplicativo contém cláusula que autoriza a empresa a coletar e compartilhar imagens e dados do consumidor, sem explicar de que forma, por quanto tempo e como serão usados. E ainda, essas permissões não estão disponíveis em língua portuguesa”, destacou a entidade em nota.O FaceApp, disponível nas lojas de aplicativos Play Store (para o sistema operacional Android, da Google) e Apple Store (para o sistema operacional iOS), virou febre nas redes sociais. O aplicativo faz edição e aplicação de filtros em imagens, como a simulação das faces em idades mais avançadas ou em outros gêneros. O programa é anunciado como uma ferramenta para melhorar fotos e criar simulações por meio de filtros. Especialistas apontam que o aplicativo pode trazer uma série de riscos à privacidade do usuário e viola a legislação brasileira ao afirmar que poderá ser regido por leis de outros países.Assista na TV Brasil: Procon notifica FaceApp, Apple e Google