Ações do BB caem após renúncia do presidente do Previ; mercado vê interferência política

·1 minuto de leitura

A renúncia do presidente da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), José Maurício Pereira, nesta terça-feira, agitou o mercado, fazendo com que as ações do Banco do Brasil, que abriram o dia em alta, despencassem durante a tarde.

Os papéis ordinários do Banco (BBSA3) chegaram a subir 0,41% pela manhã, mas encerraram o dia em baixa de 1,34%, depois de cair quase 2%.

A notícia veio uma semana depois da dança das cadeiras no fundo de pensão dos funcionários da Caixa Econômica Federal, a Funcef.

Para André Querne, sócio da Rio Gestão de Recursos, interferências do governo em fundos de pensões de empresas estatais ou de economia mista sempre acendem o alerta amarelo no mercado financeiro. Segundo ele, os investidores estarão atentos aos próximos passos.

— Positivo não é — disse.

De acordo com a coluna Capital, a presidência do fundo deverá ser ocupada pelo economista de carreira do BB, Denísio Liberato.

Em comunicado, a Previ elogiou a gestão de José Maurício Pereira à frente do fundo. "Em 2020, mesmo diante da maior crise dos últimos 100 anos, o resultado acumulado do plano foi positivo em R$ 13,9 bilhões. A prévia até o mês de abril de 2021 mostra um aumento relevante desse superávit, que ultrapassa os R$ 20 bilhões. É o maior superávit acumulado da Previ desde 2013".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos