Ações da Revlon disparam após rumor de interesse de gigante indiana pela empresa

As ações da Revlon Inc. subiram até 87% nas negociações de pré-mercado depois que o ET Now, citando pessoas familiarizadas com o assunto, informou que a Reliance Industries Ltd. está considerando comprar a gigante de cosméticos.

A Reliance Industries, controlada pelo bilionário indiano Mukesh Ambani, está avaliando uma oferta poucos dias depois da Revlon ter entrado com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos, informou a publicação.

Novos tempos: Sobrevivência das 'lojas de 100 ienes' no Japão é ameaçada por inflação alta e moeda mais fraca

Aumento: Petrobras ignora Bolsonaro e anuncia alta de combustíveis hoje. Entenda por que estatal resiste à pressão

Kinder Ovo: Fábrica reabre na Bélgica após casos de contaminação por salmonella

Maior empresa privada da Índia, a Reliance Industries está envolvida nos negócios de refino de petróleo, petroquímica, gás, varejo e têxtil e possui vendas consolidadas de mais de US$ 60 bilhões.

A Revlon, de propriedade da MacAndrews & Forbes, do bilionário Ron Perelman, sofreu durante a pandemia após anos de queda nas vendas e enfrentou controvérsias financeiras que a empresa admitiu, na quinta-feira, que poderia “impedir” seu processo de reestruturação.

Mudança de cenário: Havana, paraíso dos carros antigos, vê suas ruas se encherem de carros, motos e triciclos elétricos

Procurado, representante da Reliance Industries não comentou imediatamente.

A Revlon, gigante dos cosméticos americana, começou há 90 anos vendendo esmaltes durante a Grande Depressão e, mais tarde, adicionou batons coordenados à sua coleção. Em 1955, a marca já era internacional.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos