Ações da Silvergate desabam com resgates ligados a criptomoedas

.

Por Manya Saini e Niket Nishant e Hannah Lang

(Reuters) - A Silvergate Capital revelou nesta quinta-feira uma queda forte nos depósitos ligados a criptomoedas no quarto trimestre, já que o susto pelo colapso da FTX levou a mais de 8 bilhões de dólares em resgates, derrubando as ações em mais de 49% na sessão.

O banco focado em ativos digitais também disse que cortará sua força de trabalho em 40%, ou cerca de 200 funcionários, enquanto tenta controlar os custos em meio a uma retração do setor.

Os números operacionais da Silvergate mostram o impacto na indústria de ativos digitais da quebra da FTX, que pediu proteção contra falência em novembro após não cobrir saques de clientes.

O total de depósitos de clientes de ativos digitais na Silvergate caiu para 3,8 bilhões de dólares em dezembro, ante 11,9 bilhões no final de setembro. A empresa vendeu 5,2 bilhões de dólares em títulos de dívida com prejuízo de 718 milhões de dólares no quarto trimestre para manter a liquidez.

Por volta de 15h15 (horário de Brasília), as ações da Silvergate caíam 43%, após cederem até 49,3% mais cedo.

A Silvergate havia dito antes que não tinha empréstimos ou investimentos pendentes na FTX, mas suas ações perderam ao redor de 69% de seu valor desde o colapso da corretora.

Um advogado disse a um tribunal de falências na quarta-feira que promotores dos EUA haviam confiscado contas bancárias da Silvergate e do Farmington State Bank afiliadas ao negócio da FTX com sede nas Bahamas.

Os registros do tribunal mostram que as contas da Silvergate e do Farmington State detinham cerca de 143 milhões de dólares.

Na terça-feira, o ex-presidente da FTX, Sam Bankman-Fried, declarou-se inocente de oito acusações criminais, incluindo fraude e conspiração para lavagem de dinheiro.

Ele é acusado de saquear depósitos dos clientes da FTX para apoiar seu fundo Alameda Research, comprar imóveis e doar milhões de dólares para causas políticas.

"Estamos numa fase de atire primeiro, pergunte depois para qualquer má notícia ligada a criptomoedas", disse Thomas Hayes, presidente da empresa de investimentos Great Hill Capital. "Esperamos que essa carnificina continue por algum tempo, pois não há como avaliar o ativo subjacente."

A Silvergate, com sede na Califórnia, também está adiando o lançamento de uma solução de pagamento baseada em blockchain que comprou do Diem Group, que tem a Meta como acionista, no ano passado.

Vários legisladores dos EUA questionaram a relação entre Silvergate e as empresas de criptomoedas de Bankman-Fried.

Em carta datada de dezembro ao presidente da Silvergate, Alan Lane, os senadores Elizabeth Warren, John Kennedy e Roger Marshall expressaram preocupação de que a empresa possa ter facilitado a transferência de fundos de clientes da FTX e pediram informações sobre o programa antilavagem de dinheiro do banco.

Fundada em 1988, a Silvergate se aventurou em criptomoedas em 2013 e tem Coinbase e Kraken entre seus clientes.