Ações de fabricantes de chips caem com aumento de tensões geopolíticas em Taiwan

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BENGALURU, Índia (Reuters) - As ações do setor de semicondutores recuavam globalmente nesta terça-feira, diante de escalada de tensões entre Washington e Pequim alimentada por esperada visita da presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, à Taiwan, local que a China reivindica como seu território.

A China vê a visita de Pelosi, segunda na linha de sucessão à presidência norte-americana e crítica de longa data do país asiático, como um sinal encorajador aos movimentos pró-independência em Taiwan.

Taiwan é a sede do maior fabricante mundial de semicondutores em termos de contratos, a TSMC. As ações da empresa fecharam em queda de 2,4%, enquanto os papéis da rival UMC caíram 3%.

O índice acionário de referência em Taiwan recuou 1,6%, marcando o maior declínio percentual em três semanas, enquanto as ações na China registraram a maior queda em mais de dois meses, com as crescentes tensões perturbando os mercados financeiros asiáticos.

"As perspectivas para o comércio na Ásia provavelmente pesarão sobre semicondutores, considerando que grande parte da produção mundial vem de Taiwan", disse Michael Hewson, analista-chefe de mercados da CMC Markets UK.

Ações do setor de semicondutores sentiam o impacto globalmente. A alemã Infineon caía 1,9%, enquanto as holandesas ASML, ASMI e BESI exibiam baixa entre 2,7% e 3,8%, por volta de 9h30 (horário de Brasília).

As ações de empresas de chips dos EUA, como Nvidia, Intel, Qualcomm e Micron caíam nas negociações pré-mercado.

"Esta reação do mercado é esperada após o forte desempenho dos mercados de ações em julho", disse Andrea Cicione, chefe de estratégia da TS Lombard, em Londres.

"É improvável que o impacto a longo prazo seja significativo, a menos que a situação aumente, o que não seria minha expectativa no momento".

Pelosi deve visitar a ilha nesta terça-feira, disseram três fontes, enquanto vários aviões de guerra chineses voavam perto da linha que divide o Estreito de Taiwan, disse uma fonte à Reuters.

(Por Bansari Mayur Kamdar e Medha Singh)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos