Ações globais atingem alta recorde com aposta de recuperação dos efeitos da pandemia de Covid-19

O Globo, com agências internacionais
·2 minuto de leitura

LONDRES - Os mercados de ações em todo o mundo atingiram recordes históricos, nesta terça-feira e estavam no caminho para sua mais longa sequência de altas em 17 anos, com os investidores apostando que o lançamento das vacinas Covid-19 levará a uma recuperação econômica durável e colocaria um ponto final em um ano de bloqueios.

O MSCI, índice global de ações, subiu 0,16% a 686,19 pontos depois de bater um recorde de 686,38 pontos no início da sessão. Um fechamento positivo marcaria o 12º dia consecutivo de ganhos pela primeira vez desde janeiro de 2004.

O STOXX 600 Europeu - índice com um número fixo de 600 componentes, dentre eles grandes, médias e pequenas empresas capitalizadas em 18 países- subiu 0,19%, após atingir o seu nível mais alto desde o final de fevereiro de 2020.

“O quadro geral é que há um grande entusiasmo pela recuperação quando se trata do programa de vacinas”, disse Michael Hewson, analista-chefe de mercado da CMC Markets.

Bitcoin acumula alta de 72% este ano

O índice de sentimento do investidor ZEW na Alemanha, maior economia da Europa, subiu muito mais do que o esperado em fevereiro, devido às expectativas de que as pessoas voltarão às lojas e outros pontos de venda nos próximos seis meses.

As perspectivas de recuperação iluminaram commodities, com cobre em US$ 8.384,50, após atingir seu maior valor desde maio de 2012, e platina alcançando um pico de 6-1 / 2 anos. O índice europeu de mineração atingiu seu nível mais alto desde julho de 2011.

O Bitcoin, maior criptomoeda do mundo, subiu acima de US $ 50.000 nesta terça-feira para um novo recorde, com base em uma recuperação alimentada por sinais de que a está ganhando aceitação entre os principais investidores.

A moeda digital registra alta de cerca de 72% este ano, com a maior parte dos ganhos vindo depois que a montadora de carros elétricos Tesla disse que comprou US $ 1,5 bilhão em bitcoin e que aceitaria a moeda como pagamento.

PIB da zona do euro cai menos que o estimado

Estimativas divulgadas, nesta terça-feira, aponta ainda que o Produto Interno Bruto da zona do euro caiu menos do que o inicialmente estimado no último trimestre de 2020 e o emprego avançou em relação aos três meses anteriores apesar dos lockdowns por conta da pandemia

A Eurostat, agência de estatísticas da União Europeia, disse que o PIB dos 19 países que usam o euro contraiu 0,6% no quarto trimestre em relação aos três meses anteriores, registrando queda de 5,0% na base anual. A Eurostat havia estimado anteriormente contração trimestral de 0,7% e de 5,1% em termos anuais.

A agência também informou que o emprego cresceu 0,3% nos últimos três meses de 2020 sobre o período anterior, após alta trimestral de 1,0% no terceiro trimestre, mas que ainda está 2,0% abaixo do mesmo período do ano anterior.