Aécio diz que Doria só tem apoio no PSDB de quem quer vê-lo longe de SP

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 21.08.2019 - O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) fala com a imprensa após reunião da executiva do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), que decidiu pelo arquivamento do pedido de sua expulsão do partido por conta das denúncias de corrupção as quais responde. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 21.08.2019 - O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) fala com a imprensa após reunião da executiva do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), que decidiu pelo arquivamento do pedido de sua expulsão do partido por conta das denúncias de corrupção as quais responde. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Apoiador de Eduardo Leite (RS) nas prévias do PSDB, o deputado federal Aécio Neves (MG) diz que João Doria (SP) recebe apoios entusiasmados somente dos amigos do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia.

"Mas não porque eles acham que Doria tenha alguma chance de ser presidente, mas sim para vê-lo pelas costas para o Rodrigo [Garcia] sentar na cadeira de governador e passar a ter alguma chance na disputa com o [Geraldo] Alckmin", afirma Neves ao Painel.

"Só que o preço que o restante do partido teria que pagar seria alto demais" caso Doria vencesse as prévias contra o governador gaúcho, conclui Neves.

O deputado e o governador de SP são desafetos. Em fevereiro, Doria fez ofensiva para tentar expulsar Neves do PSDB, mas não teve sucesso.

Ligado ao deputado, o diretório de Minas Gerais do PSDB, na companhia dos diretórios de Ceará, Rio Grande do Sul e Bahia, protocolou denúncia em que acusa o diretório paulista, comandado por aliados de João Doria, de fraudar as datas de filiações de 92 prefeitos e vice-prefeitos.

​As regras das prévias tucanas determinam que apenas filiados até 31 de maio deste ano podem participar da votação. Os diretórios apoiadores de Leite apontam que esses 92 políticos foram filiados posteriormente e registrados no sistema do partido com datas retroativas.

A comissão das prévias acatou o argumento e, por isso, decidiu invalidar a participação deles. Eles têm 72 horas para recorrer da decisão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos