A senadores, Lula reforça importância de vitória no 1º turno contra possível golpe

Lula, Alckmin, senadores do PT e de outros partidos foram recebidos pelo Presidente do Senado Rodrigo Pacheco. (Foto: Ricardo Stuckert)
Lula, Alckmin, senadores do PT e de outros partidos foram recebidos pelo Presidente do Senado Rodrigo Pacheco. (Foto: Ricardo Stuckert)

Na última quarta-feira (13), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu com senadores, entre eles, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). No encontro, o petista afirmou que uma vitória dele no primeiro turno seria importante para frear eventuais tentativas de golpe por parte do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Há um temor de que, se prolongada a eleição, aumenta a possibilidade de Bolsonaro contestar o resultado do pleito. Por isso, o petista considera mais segura uma vitória no primeiro turno.

À Folha de S. Paulo, pessoas presentes no encontro relataram que Lula e o PT tentam o apoio do PSD e de toda a chamada “terceira via” para o primeiro turno – incluindo o MDB, de Simone Tebet, e o União Brasil, de Luciano Bivar.

O almoço entre Lula, Pacheco e senadores aliados do petista aconteceu na residência oficial do presidente do Senado. Segundo pessoas que estavam na reunião, o petista teria dito que confia no apoio do MDB e que tem mantido contato com Luciano Bivar. Segundo Lula, o presidente do União Brasil, junção de DEM e PSL, “odeia” o presidente Jair Bolsonaro. Em 2018, quando eleito, Bolsonaro era filiado ao PSL.

Nas pesquisas de intenção de voto, Simone Tebet varia entre 1% e 4%, enquanto Luciano Bivar chega a não pontuar.

Em Brasília, além do almoço com senadores, Lula participou de outros encontros na terça (12) e quarta-feira (13).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos