Abastecimento de água e eletricidade reestabelecidos em Kiev

O abastecimento de água e de eletricidade foi reestabelecido em Kiev, capital da Ucrânia, de acordo com o autarca da cidade, Vitali Klitschko.

Esta segunda-feira, vários moradores chegaram a formar longas filas para encher garrafões com água potável.

Os ataques russos continuam a atingir cada vez mais infraestruturas críticas ucranianas.

Por essa razão ainda estão programados cortes pontuais para estabilizar a operacionalidade do sistema energético.

O presidente da câmara de Kievacusou a Rússia de atacar estruturas importantes para a rede de distribuição para deixar as pessoas sem "aquecimento, sem água e sem eletricidade durante o inverno."

"Tenho a sensação de que os agressores russos querem congelar as pessoas este inverno. (...) Isto é genocídio, não há outras palavras", disse o autarca.

As palavras de Klitschko encontram eco nos habitantes de Kiev.

"Esta é uma guerra com a população civil. Querem incitar à submissão. Esta é uma guerra de valores. Os ucranianos respeitam a liberdade. Não estamos acostumados ao fato de sermos uma espécie de escravos", referiu Iryna Kulinich, reformada residente em Kiev.

Victor, engenheiro, acrescentou: "porque é que fazem isto? Porque querem assustar-nos."

O ministério russo da Defesa confirmou novos ataques a comandos militares e instalações energéticas ucranianas.

Tudo aponta para uma retaliação a um alegado ataque da Ucrânia à frota russa no mar Negro, ao largo da costa da península anexada da Crimeia.

A televisão russa também divulgou imagens de um hotel destruído em Alchevsk, no leste da Ucrânia.

As autoridades russas no terreno dizem que o edifício foi arrasado por mísseis ucranianos, deixando um número indeterminado de civis debaixo dos escombros.