ABL comemora 122 anos com sessão especial e lançamento de selo

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

A Academia Brasileira de Letras (ABL) comemora, hoje (18), seus 122 anos, com uma sessão especial e o lançamento, pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, do selo comemorativo que homenageia Machado de Assis e Joaquim Nabuco, integrantes do quadro de fundadores da entidade. A “obliteração”, como diz o presidente da ABL, Marco Lucchesi, será realizada na mesa que pertenceu ao poeta e acadêmico Manuel Bandeira. “É um conjunto de símbolos que a gente está articulando. É uma grande alegria”. Participam do lançamento dos selos, além do presidente da ABL, os acadêmicos Merval Pereira, José Murilo de Carvalho e Edmar Bacha.

Durante a celebração, no Salão Nobre do Petit Trianon, Lucchesi lerá o discurso do escritor Machado de Assis. “É breve, intenso. É de praxe haver na academia a leitura de Machado”, disse. Para ele, os 122 anos de existência da academia “são uma prova de fôlego, de resistência, da permanência sempre renovada da ABL. É um momento de congraçamento”. O discurso de Machado é lido em todas as datas comemorativas do aniversário.

O orador oficial do evento será o historiador e acadêmico Arno Wehling.

Medalha

A Fundação Calouste Gulbenkian, sediada em Portugal e criada por testamento do filantropo armênio Calouste Sarkis Gulbenkian, em 1956, receberá a Medalha Machado de Assis de 2019. A medalha será entregue pelo acadêmico Zuenir Ventura ao cônsul-geral de Portugal no Rio de Janeiro, embaixador Jaime Leitão, representando a fundação. A escolha do ganhador da medalha este ano foi uma decisão unânime dos acadêmicos.

No final da cerimônia, haverá apresentação do Quarteto de Clarinetes da Banda Sinfônica Brasileira.