Weintraub xinga ministros do STF em reunião citada por Moro

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, xinga ministros do STF em reunião no Planalto (Photo by EVARISTO SA / AFP)

O governo federal tenta evitar a divulgação do vídeo citado pelo ex-ministro Sergio Moro em seu depoimento, no último sábado (2), de reunião na qual o presidente Jair Bolsonaro teria pedido acesso a relatórios de inteligência policial e teria exigido a troca na superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. 

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Entre os motivos para evitar essa divulgação, está uma fala do ministro da Educação, Abraham Weintraub. Depois de comentar medidas tomadas pelo STF que desagradaram o governo, o ministro disse que a Corte era composta por 11 “filhos da puta”.

Leia também

Autoridades presentes na reunião afirmam que também tiveram palavrões, briga entre ministros, ataques à China, além da pressão pela troca na Polícia Federal. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

A Presidência tem até o fim desta sexta-feira (8) para cumprir a determinação do ministro Celso de Mello e entregar a íntegra do vídeo gravado durante a reunião do dia 22 de abril, no Palácio do Planalto. 

A Advocacia-Geral da União, que representa o presidente da República no inquérito aberto a partir das acusações do ex-ministro Sergio Moro, pede para ser autorizada a entregar apenas parte do registro da reunião. Em pedido encaminhado na quarta-feira (6) ao Supremo Tribunal Federal para reconsiderar a entrega do vídeo, a AGU justifica que, no referido encontro, “foram tratados assuntos potencialmente sensíveis e reservados de Estado, inclusive de Relações Exteriores, entre outros”.


Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.