Acesso ao centro espacial francês de Kourou é desbloqueado

Policiais liberam o acesso ao Centro espacial de Kourou, em 22 de abril de 2017

Após mais de um mês de bloqueio, foi permitido neste sábado (22) o acesso ao Centro Espacial de Kourou (CSG), na Guiana, território ultramarino francês situado na América do sul - anunciou a instituição à AFP.

Na véspera, foi assinado um acordo entre o coletivo que dirigia o movimento social na Guiana francesa, o Estado e as autoridades locais, com o objetivo de retirar as barricadas que bloqueavam esse território.

"A atividade será retomada na segunda-feira de manhã", e os três lançamentos que haviam sido adiados até nova ordem devido ao conflito social "serão reprogramados", disse o serviço de comunicação do centro espacial.

"É a primeira coisa que vamos fazer, em função da disponibilidade dos nossos clientes, para ficarmos em dia com os atrasos e respeitar o compromisso de 12 lançamentos por ano", acrescentou a mesma fonte.

Os lançamentos serão realizados muito provavelmente em maio e junho, antes do que já estava inicialmente programado, no final de junho.

Entre os lançamentos adiados estava o de um foguete Ariane 5, programado para 21 de março, que deveria colocar dois satélites em órbita: um, da operadora brasileira Telebras S.A., e outro, do sul-coreano Ktsat. Também estava previsto o lançamento de um foguete Soyuz, no início de abril, e o de outro Ariane 5, agendado inicialmente para o final deste mês.

No acordo, o governo se compromete a conceder os 2,1 bilhões de euros adicionais solicitados pelo grupo Pou La Gwiyann Dékolé (Para que a Guiana decole), que dirigiu o movimento social, por considerar que o plano de emergência de mais de um bilhão de euros aprovado pelo governo não era suficiente.

O coletivo reivindicava medidas contra a insegurança, econômicas e sociais.