Acidente com avião de carga deixa 36 mortos no Sudão do Sul

Curiosos no local da queda do avião

Pelo menos 36 pessoas morreram nesta quarta-feira em Juba, capital do Sudão do Sul, na queda de um avião de carga pouco depois da decolagem.

A aeronave caiu em uma área de residências rurais em uma pequena ilha do Nilo Branco, a 800 metros da pista do aeroporto.

"Até o momento, 36 corpos foram recuperados", declarou à AFP Majju Hillary, assessora de imprensa da Cruz Vermelha sul-sudanesa, cuja equipe recolhe os cadáveres.

"Não podemos assegurar que este balanço é definitivo, porque alguns destroços são pesados demais para serem movidos e precisam de guindastes" que a configuração do terreno não permite, acrescentou, sem excluir possíveis novas vítimas presas às ferragens.

Duas pessoas sobreviveram ao acidente, mas uma delas morreu pouco depois, de acordo com Hillary.

Um fotógrafo da AFP conseguiu ter acesso ao local da queda, onde apenas a cauda branca da aeronave era reconhecível. O resto do avião foi completamente destruído, provavelmente no momento de contato com o solo. Destroços de todos os tamanhos - incluindo uma hélice e um pedaço do cockpit - estavam espalhados pelo chão junto a cadáveres.

Segundo a assessora da Cruz Vermelha, todas as vítimas estavam a bordo da aeronave e nenhuma pessoa no chão foi ferida, enquanto casas - intactas - eram visíveis a poucas dezenas de metros dos destroços.

A imprensa local, incluindo a rádio da ONU Miraya, cita até 40 mortos, sem citar fontes.

O ministério armênio das Relações Exteriores indicou que "cinco armênios, membros da tripulação do avião que caiu no Sudão do Sul, estão entre as vítimas".

De acordo com a rádio Miraya, o avião seguia para Paloch, no estado petroleiro do Alto Nilo (norte), uma das regiões mais afetadas pelos combates e as atrocidades que deixaram milhares de mortos e mais de 2,2 milhões de deslocados em dois anos.

O Sudão do Sul é um dos países menos desenvolvidos do mundo. O Estado foi devastado por décadas de guerra de secessão contra Cartum e proclamou sua independência em julho de 2011. No entanto, minado por rivalidades político-étnicas, afundou em uma guerra civil em dezembro de 2013.

"A partir das informações que temos, trata-se de um An-12" que caiu em Juba, indicou por sua à AFP um porta-voz da construtoras de aviões Antonov.

O Antonov An-12 é um quadrimotor de transporte civil e militar, de design e fabricação soviética, em operação desde o final dos anos 1950.

Ele pode transportar 18 toneladas de carga e sua tripulação é teoricamente composta por cinco ou seis pessoas. Mas é comum em regiões da África que aviões de carga transportem passageiros para áreas remotas.

"Nós pedimos ao Sudão do Sul autorização para o acesso de nossas equipes ao local do acidente", continuou o porta-voz de Antonov. "Cabe a eles decidir. Como fabricante, nós podemos ser convidados a participar no inquérito ou não".

De acordo com a sua matrícula, ​​o avião pertence à empresa Allied Services Ltd, uma empresa de transporte rodoviário, fluvial e aéreo com sede em Juba.

O aeroporto de Juba recebe voos comerciais, mas também um importante tráfego de aviões de carga e aeronaves militares, que transportam ajuda para todo o país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos