Acidente com motorista alcoolizado mata primas de 10 e 13 anos no interior de SP

Acidente mata duas garotas no interior de SP - Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros
Acidente mata duas garotas no interior de SP - Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros
  • Acidente mata duas garotas em rodovia no interior de São Paulo

  • Vítimas eram primas e não resistiram à violência do impacto

  • Motorista estava embriagado e em alta velocidade

Duas garotas, de 10 e 13 anos, morreram após um grave acidente de trânsito na noite do último domingo (6) na região de Laranjal Paulista, interior de São Paulo.

Identificadas como Ana Beatriz Trevisan Pires e Mitchaelly Cristina Correa da Silva, as vítimas, que eram primas, não resistiram à batida na Rodovia Marechal Rondon (SP-300).

De acordo com informações do boletim de ocorrência, divulgadas pelo g1, o carro em que as meninas estavam foi atingido por um veículo em alta velocidade, pilotado por um motorista embriagado.

O motorista de um terceiro automóvel envolvido no acidente disse à polícia que trafegava pela rodovia quando, no sentido contrário, um carro em alta velocidade atingiu a traseira de um Fusca.

Com o impacto, o Fusca invadiu a pista contrária e chocou-se contra o veículo em que estava a testemunha. O rapaz e sua esposa tiveram ferimentos leves, mas os ocupantes do Fusca foram atendidos com lesões graves.

Ana Beatriz, de 10 anos, era uma das ocupantes desse carro. Ela foi socorrida e levada ao Pronto-Socorro de Laranjal Paulista, mas não resistiu aos ferimentos.

Já Mitchaelly, de 13, foi encaminhada a um pronto-socorro da cidade de Conchas. Por conta da gravidade do quadro, ela precisou ser transferida para a Unesp de Botucatu, mas morreu no caminho.

Pai de Ana Beatriz, o motorista do veículo, que não teve a identidade revelada, teve ferimentos leves.

Motorista estava bêbado

Segundo o boletim de ocorrência, o motorista do carro que se chocou contra a traseira do Fusca também precisou ser socorrido e levado ao pronto-socorro de Conchas, com uma fratura na perna.

O rapaz foi submetido a um teste de bafômetro que constatou que ele estava alcoolizado no momento do acidente. Além disso, o velocímetro de seu carro ficou parado em 170 km/h.

O motorista foi preso em flagrante por homicídio e lesão culposa, além de embriaguez ao volante. Ele ficou sob escola policial no hospital, antes de receber alta e ser encaminhado à cadeia de Itatinga.