Acidente de trem deixa pelo menos 21 mortos no Irã

Ao menos 21 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas nesta quarta-feira (8) após o descarrilamento de um trem de passageiros perto da cidade iraniana de Tabas, no centro do Irã.

"Vinte e uma pessoas morreram no acidente", afirmou o chefe dos serviços de emergência da província de Yazd, Ahmad Dehghan, citado pela TV estatal IRIB.

As autoridades informaram que 24 ambulâncias e três helicópteros foram enviados ao local.

O trem ia de Mashhad (nordeste) para Yazd (centro) com 348 passageiros quando descarrilou no deserto por volta das 05h30 locais (22h de terça, hora de Brasília).

Tabas fica na província de Khorasan do Sul, a 900 km por estrada de Teerã.

O vice-diretor de ferrovias estatais iranianas, Mir Hassan Mussavi, disse à TV estatal que o trem "descarrilou após se chocar com uma escavadeira" que estava perto da ferrovia.

Alguns feridos foram levados de helicóptero ao hospital, segundo imagens da TV estatal.

Equipes de resgate examinaram os vagões tombados enquanto as pessoas olhavam ao redor, segundo imagens da TV estatal.

Uma das imagens mostrou uma escavadeira amarela em uma lateral da via.

Cinco dos 11 vagões do trem saíram dos trilhos, disse o chefe de operações de emergência da organização Crescente Vermelho iraniana, Mehdi Valipur, à TV estatal.

- Investigação -

O presidente Ebrahim Raisi expressou condolências às famílias das vítimas e ordenou uma investigação rápida das causas do acidente, anunciou seu gabinete.

O ministro de Rodovias e Desenvolvimento Urbano, Rostam Ghasemi, pediu desculpas aos iranianos pelo Twitter e afirmou que sua pasta é responsável pelo incidente.

O procurador de Tabas visitou o local do acidente e anunciou a abertura de uma investigação, segundo a imprensa iraniana.

O acidente aconteceu duas semanas depois do desabamento de um edifício em construção na região sudoeste do Irã, uma tragédia que deixou 43 mortos.

Em 23 de maio, o edifício de 10 andares Metropol em construção em Abadan, uma das principais cidades da província de Khuzestan, desabou parcialmente em uma rua de grande movimento.

A justiça provincial declarou ter detido 13 pessoas, entre elas o prefeito de Abadan, e dois ex-prefeitos, sob suspeita de responsabilidade na tragédia.

A catástrofe, uma das mais letais dos últimos anos no Irã, provocou manifestações em todo o país em solidariedade com as famílias das vítimas e contra as autoridades, acusadas de corrupção e incompetência.

Em 2016, 44 pessoas morreram e 82 ficaram feridas quando dois trens colidiram e pegaram fogo no norte do Irã, entre Teerã e Mashhad.

O então chefe das ferrovias iranianas se demitiu depois que quatro de seus funcionários foram detidos após a colisão na linha principal entre Teerã e Mashhad, a segunda cidade do país.

pdm/mar/pc/mar/fp/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos