Acionistas do Twitter aprovam a oferta de US$ 44 bilhões de Elon Musk

Aprovação da compra já era esperada, e foi incentivada pelo Conselho Administrativo do Twitter (Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images)
Aprovação da compra já era esperada, e foi incentivada pelo Conselho Administrativo do Twitter (Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images)
  • Aprovação irá permitir que a empresa siga com o processo contra Elon Musk;

  • O bilionário voltou atrás em sua oferta de compra da rede social por US$ 44 bilhões;

  • Twitter afirma que não irá desistir de fazer com que Musk compra sua parte do acordo.

Os acionistas do Twitter aprovaram, nesta terça-feira (13), a oferta de compra feita por Elon Musk no valor de US$ 44 bilhões, ou R$ 227 bilhões. Os relatórios de analistas de ontem já previam uma grande margem de aprovação entre os votos.

Elon Musk propôs a compra da rede social em abril, após comprar 14,9% das ações da plataforma. Desde então o Conselho Administrativo do Twitter vem encorajando os investidores a aceitar a oferta, mesmo com o bilionário apresentando diversos pedidos para rescindir o acordo.

A aprovação da venda realizada hoje irá permitir que a empresa prossiga com a ação judicial que visa forçar o CEO da Tesla a manter sua palavra no contrato. O julgamento deve seguir no mês de outubro no Tribunal de Chancelaria de Delaware.

De acordo com Musk, o Twitter ocultou fatos importantes sobre suas operações internas. O bilionário destaca que a empresa teria maquiado o número de contas de spam e bots presentes em sua plataforma. Já a empresa de mídia social alega que as reclamações de Musk são apenas um pretexto para recuar, após o homem mais rico do mundo enfrentar problemas de liquidez com a queda no valor das ações da Tesla.

Envolto a esse problema, o Twitter enfrenta também as acusações de Peiter ‘Mudge’ Zatko, ex-chefe de segurança da empresa que se tornou um delatante ao governo americano, explicitando falhas de segurança graves no sistema da empresa. Zatko já foi chamado para testemunhar por Elon Musk, em uma tentativa de conseguir fugir da responsabilidade de comprar a rede social.