ACM Neto diz lamentar ida de afilhado político a ministério do governo Bolsonaro

FÁBIO ZANINI
·1 minuto de leitura
*ARQUIVA* BRASILIA, DF,  BRASIL,  04-08-2018 - O presidente do DEM ACM Neto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVA* BRASILIA, DF, BRASIL, 04-08-2018 - O presidente do DEM ACM Neto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do DEM, ACM Neto, afirmou considerar "lamentável" que o deputado João Roma (Republicanos-BA) tenha topado chefiar o Ministério da Cidadania e diz que "se manter distante do governo federal é o caminho certo".

"Considero lamentável a aceitação, pelo deputado João Roma, do convite do Palácio do Planalto para assumir o Ministério da Cidadania. A decisão me surpreende porque desconsidera a relação política e a amizade pessoal que construímos ao longo de toda a vida", disse Neto em nota.

O ex-prefeito de Salvador ainda critica o Palácio do Planalto. Na tentativa de evitar a nomeação de Roma, o dirigente do DEM avisou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que preferia que o aliado não fosse nomeado.

"Se a intenção do Palácio do Planalto é me intimidar, limitar a expressão das minhas opiniões ou reduzir as minhas críticas, serviu antes para reforçar a minha certeza de que me manter distante do governo federal é o caminho certo a ser trilhado, pelo bem do Brasil", conclui Neto. ​