Acordo de combate à migração ilegal com Líbia gera protestos em Itália

Mais de 40 associações humanitárias marcharam, esta quarta-feira, em Roma contra a renovação do acordo que visa combater a migração ilegal, entre Itália e Líbia.

O documento, assinado pelo governo de Paolo Gentiloni, em 2017, obriga as autoridades italianas a prestar apoio técnico e tecnológico aos organismos líbios encarregados de combater a imigração, nomeadamente a guarda costeira.

Os manifestantes alegam que Itália não pode devolver pessoas a um país onde não são respeitados direitos humanos e que os migrantes recorrem muitas vezes a fazer uma travessia por mar para chegar à Europa, por não terem mecanismos legais para entrar no continente.