Sobre acordo com Mercosul, Macron diz: 'Nunca haverá carne com hormônio na França'

Macron discursa para jovens agricultores no Palácio do Eliseu

O presidente francês, Emmanuel Macron, garantiu nesta quinta-feira (22) que "nunca haverá carne tratada com hormônios na França", mesmo se forem assinados acordos internacionais, como o que está em negociação entre a União Europeia e o Mercosul.

"Nunca haverá carne tratada com hormônios na França. Jamais. Não se deve brincar com os temores das pessoas", apontou Macron, em encontro no Palácio do Eliseu com centenas de agropecuaristas franceses.

"Não reduziremos nossos padrões de qualidade sociais, meio-ambientais, ou sanitários, nesta negociação", acrescentou o presidente da França, um dos países mais resistentes ao acordo entre os blocos.

A UE e o Mercosul retomaram, nesta semana, em Assunção, Paraguai, as discussões de um tratado de livre-comércio, negociado há quase 20 anos. Esta rodada poderia ser concluída no começo de março com um anúncio sobre um acordo.

Até então, um dos maiores obstáculos à assinatura é a abertura do mercado europeu à carne do bloco sul-americano, sobretudo na França, onde agropecuaristas temem a chegada de novos produtos com preços mais competitivos. Eles também receiam a entrada de carne tratada com hormônios, sem rastreabilidade completa de sua cadeia de produção.

Essa questão estimulou protestos na véspera em vários países da UE, especialmente na França, onde centenas de criadores foram às ruas e estradas com gado e tratores em repúdio ao potencial acordo com o Mercosul.