Acusações contra Neymar no caso da transferência para o Barcelona são retiradas pela Justiça espanhola

A Promotoria espanhola retirou, nesta sexta-feira, todas as acusações de corrupção e fraude contra Neymar no julgamento por supostas irregularidades durante a transferência do jogador do Santos para o Barcelona em 2013.

Segundo o jornal espanhol "Marca", o promotor responsável pelo caso alegou nesta sexta-feira no tribunal em Barcelona que "o caso se baseou em presunções, não em provas". O final do julgamento estava previsto para o dia 31 deste mês.

No processo, a promotoria pedia dois anos de prisão e multa de 10 milhões de euros (cerca de R$ 53 milhões) ao jogador brasileiro. A ação foi aberta pela empresa DIS, que representava Neymar à época de sua transferência do Santos para o Barcelona.

A empresa alega que recebeu menos do que deveria pelos direitos econômicos do jogador. Segundo a DIS, o valor total do passe pago pelo Barcelona foi diluído em contratos fictícios. Além de Neymar, seus pais e os ex-presidentes do Barcelona Sandro Rossel e Josep Bartomeu são réus no processo. A empresa seguirá com o processo na Espanha no âmbito civil e mantém a acusação a todos os réus, com exceção da mãe de Neymar.

Já os advogados de Neymar afirmam que o valor dos contratos extras questionados pela DIS, de cerca de 40 milhões de euros (cerca de R$ 207 milhões), correspondem a um "bônus de contratação legal e habitual no mercado do futebol". A defesa também questionou a competência legal da Justiça espanhola para aceitar a denúncia, pois a negociação aconteceu no Brasil.

De acordo com a Reuters, a defesa de Neymar vai pedir reembolso dos custos do processo, que chamaram de "imprudência, atuação de má-fé e abuso de processo".

O caso desenrola desde 2015 e gerou a demissão do então presidente do Barcelona, Sandro Rossel.