Acusações de suborno e possíveis 'crimes contra a humanidade'

Em Mianmar, a junta militar birmanesa acusou, nesta quinta-feira, a ex-chefe de governo Aung San Suu Kyi de ter recebido subornos de 600.000 dólares e mais de 11 quilos de ouro. Na Suíça, o principal especialista da ONU sobre o país asiático, Thomas Andrews, denunciou que os militares no poder estão 'provavelmente, cometendo crimes contra a Humanidade'.