Acusado de matar mulher no Dia dos Namorados passará por audiência de custódia nesta terça

Está marcada para as 13h, desta terça-feira (14), a audiência de custódia de Magno de Pinho Rocha, 29 anos, suspeito de matar a tiros a namorada, a dona de casa Laís Batista da Silva Rocha dos Santos, de 25, no último domingo – Dia dos Namorados. Ele foi preso em flagrante, após ser impedido de deixar o local pela mãe. O casal estava namorando há apenas 15 dias e de acordo com parentes da vítima, o ciúme teria sido a motivação do assassinato. Ela era mãe de um casal de filhos: uma menina de 8 anos e um menino de 5. No final da tarde de ontem, o corpo da mulher foi enterrado no Cemitério de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio.

Crime na Baixada: Polícia faz operação contra empresários acusados de receptação de carga roubada

Crise na educação: Cortes no orçamento da UFRJ afetam o dia a dia da Cidade Universitária

Preconceito em teatro: ‘O racismo não tem perdão’, diz jovem negro acusado de furtar guarda-chuva na Zona Sul

Após ser preso pela Polícia Militar, o homem foi levado à Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). Na manhã desta segunda, ele foi encaminhado para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte.

De acordo com parentes da mulher, Laís havia saído com Magno para beber. Os dois teriam ido a um bar na noite de sábado e, posteriormente, seguiram para a casa da mãe do suspeito, na Reta da Base, em Santa Cruz. Segundo uma prima da vítima, o casal havia se conhecido pelas redes sociais e estavam juntos há cerca de 15 dias.

Testemunhas contaram que, na manhã de ontem, houve uma briga entre o casal. Em seguida, a mãe de Magno escutou um disparo. Ela chamou a polícia e não deixou que o filho saísse de casa.

– A gente sabia que ela estava com esse cara há cerca de 10 a 15 dias. Um relacionamento muito recente. Como a minha prima gostava muito de cavalos, acredito que eles se conheceram por isso – contou a esteticista Mariana Mello de Menezes, 25, prima de Laís.

Mariana destacou que os pais da vítima estão em choque com o assassinato e não conseguem acreditar no crime.

– Ontem (domingo), quando eu fiquei sabendo (do assassinato), fiquei surpresa. Ela não chegou a comentar sobre brigas. Eles estavam juntos há tão pouco tempo que nem os parentes conheciam ele ainda. Foi uma brutalidade tão terrível que os meus tios estão em choque. A família toda. A gente nunca esperava isso. Ela foi casada há oito anos e se separou há um ano. (Ela) Era uma menina muito boa. Não merecia ser morta assim – desabafa a esteticista.

Sequestro: Mulher feita refém em biblioteca no Centro do Rio é libertada após intervenção do Bope

Planejado: Preso por mortes em prédio de luxo, pintor diz ter combinado com comparsa de amarrar e amordaçar idosa durante roubo

Quando é questionada sobre a atitude da mãe de Magno, que o impediu de fugir, Mariana diz que “ela acertou nessa parte”.

– Se ele estivesse solto, seria pior. O nosso psicológico já está abalado. Imagina ele solto. A mãe dele acertou, pelo menos nessa parte. Que ele seja julgado, condenado e pague por tudo que ele fez com a Laís.

Ressaca: 'Invasão' do mar no asfalto vai ficar cada vez mais frequente, diz especialista

Testemunhas contaram que, na manhã de domingo, houve uma briga entre o casal. Em seguida, a mãe de Magno escutou um disparo. Ela chamou a polícia e não deixou que o filho saísse de casa. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamada, mas Laís foi encontrada morta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos