Acusados de invasão ao Capitólio dos EUA não devem ser indiciados por conspiração sediciosa

·1 minuto de leitura

Por Mark Hosenball

WASHINGTON (Reuters) - Quase cinco meses após centenas de apoiadores de Donald Trump lançarem uma violenta invasão ao Capitólio dos Estados Unidos, procuradores ainda não cumpriram uma ameaça de que indiciariam alguns dos participantes por conspiração para cometer sedição.

As acusações por conspiração sediciosa podem nunca acontecer, de acordo com uma autoridade e alguns especialistas jurídicos, por conta de dificuldades no passado para garantir condenações com essas acusações contra ativistas de extrema-direita.

Em vez disso, as mais de 440 pessoas acusadas de participarem do episódio de violência no dia 6 de janeiro que deixou cinco pessoas mortas incluindo um oficial da Polícia do Capitólio foram acusados de crimes como entrada em prédio restrito à conspiração para cometer crime.

As acusações diferem da conspiração para cometer sedição, que define tentativas de "derrubar, depor ou destruir à força o governo dos Estados Unidos".

Procuradores federais levantaram a possibilidade de acusar os invasores do Capitólio de conspiração para cometer sedição em uma entrevista coletiva no dia 26 de janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos