ADDI, plataforma de vendas a prazo sem cartão de crédito, recebe aporte de US$75 mi

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A plataforma latino-americana de compras a prazo sem cartão de crédito ADDI anunciou nesta quarta-feira que recebeu um investimento de 75 milhões de dólares liderado pela Greycroft.

A rodada também envolveu os fundos GGV Capital, Citius Capital, Intersection Growth, Andreessen Horowitz, Citius VC, Endeavor Catalyst, Foundation Capital, monashees, Quona Capital e Union Square's Opportunity.

A empresa afirmou em nota que usará os novos recursos para escalar suas operações no Brasil e na Colômbia, além de expandir sua atuação para o México no início de 2022.

A ADDI usa o modelo conhecido como BNPL (buy now, pay later - compre agora, pague depois), com foco em clientes que não usam cartão de crédito, principalmente com compras via internet, o que já é usado também por gigantes como a chinesa AliExpress.

A ADDI estreou no Brasil em março passado, e afirma ter acordos com mais de 100 varejistas. A plataforma prevê movimentar cerca de 1 bilhão de reais no Brasil em 2022.

A empresa disse que vai aumentar sua oferta de BNPL, permitindo que clientes e varejistas paguem por meio de sua plataforma e aplicativo, que será lançado no fim deste mês.

No Brasil, a empresa permitirá pagamento sem juros via Pix, substituindo os boletos bancários. A utilização do Pix também servirá como forma de verificação de identidade do consumidor.

(Por Aluísio Alves)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos