Adeus, Colombo: vikings cruzaram o Atlântico mil anos atrás

·2 min de leitura
Turista fotografa réplica de embarcação viking na vila de pescadores de L'Anse aux Meadows, na ilha canadense de Newfoundland

Por Will Dunham

(Reuters) - Muito antes de Cristóvão Colombo cruzar o Oceano Atlântico, oito edifícios de madeira coberta de grama foram erguidos em uma área acima de um pântano e um riacho no extremo norte da ilha canadense de Newfoundland, em indícios de que os vikings chegaram ao Novo Mundo primeiro.

Mas precisamente quando eles viajaram para estabelecer o assentamento de L'Anse aux Meadows não estava claro – até agora.

Cientistas disseram nesta quarta-feira que um novo tipo de técnica de datação que usou uma tempestade solar antiga como ponto de referência revelou que o assentamento foi ocupado em 1021 d.C., exatamente um milênio atrás e 471 anos antes da primeira viagem de Colombo. A técnica foi empregada em três pedaços de madeira cortados para o assentamento, e os dados apontam para o mesmo ano.

A viagem viking representa diversas marcos para a humanidade. O assentamento oferece o indício mais antigo que se conhece de uma travessia transatlântica, e também assinala o local onde o globo finalmente foi circundado por humanos, que milhares de anos antes haviam rumado para a América do Norte através de uma ponte de terra que outrora ligou a Sibéria ao Alasca.

"Muitas felicitações deveriam ser oferecidas a estes norte-europeus por serem a primeira sociedade humana a atravessar o Atlântico", disse o geocientista Michael Dee da Universidade de Groningen, na Holanda, que liderou o estudo publicado no periódico científico Nature.

Os vikings, ou povo nórdico, eram navegantes com lares escandinavos: Noruega, Suécia e Dinamarca. Eles se aventuraram pela Europa, às vezes colonizando e outras vezes fazendo comércio ou invadindo. Eles possuíam habilidades extraordinárias de construção de barcos e navegação, e estabeleceram assentamentos na Islândia e na Groenlândia.

"Acho que é justo descrever a jornada tanto como uma viagem de descoberta quanto uma busca por novas fontes de matérias-primas", disse Dee.

"Muitos arqueólogos acreditam que a principal motivação para eles procurarem estes territórios novos era descobrir novas fontes de madeira, em particular. É uma crença generalizada que eles partiram da Groenlândia, onde a madeira adequada para construção é extremamente rara."

Suas embarcações de madeira eram impulsionadas por velas e remos. Um exemplar sobrevivente, batizado de navio de Oseberg, tem cerca de 21,6 metros de comprimento.

A Era dos Vikings é definida tradicionalmente entre 793 e 1066 d.C., o que dá muita margem para se situar a travessia transatlântica.

A datação convencional por radiocarbono não se mostrou precisa o suficiente para definir a idade de L'Anse aux Meadows, embora a crença geral apontasse para o século 11. O novo método se apoia no fato de que uma tempestade solar produz um sinal de radiocarbono característico nos anéis de crescimento anual das árvores.

(Por Will Dunham em Washington)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos