Vendas da safra de soja 2021/22 chegam a 18,7% em MT; volume atual de grãos preocupa

Nayara Figueiredo
·2 minuto de leitura
Lavoura de soja em Primavera do Leste (MT)

Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) - A comercialização da safra de soja 2021/22, que será plantada somente a partir de setembro, chegou a 18,69% da produção esperada em Mato Grosso, bem acima da média histórica de 2,64% para esta época do ano, mostraram dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) nesta segunda-feira.

A demanda firme e um dólar favorável à exportação impulsionam os negócios. No mesmo período da temporada passada, as vendas da oleaginosa no maior Estado produtor do país estavam em 13,21%, de acordo com o instituto.

Já para a safra atual, a comercialização atingiu 71,76% da produção esperada, ante 67,95% na mesma época de 2019/20 e média histórica de 57,86%. No entanto, o alto patamar de vendas se choca com um forte atraso na colheita, que pode mover parte da demanda para concorrentes caso surjam problemas de entrega do grão neste mês.

"Os volumes elevados de chuvas dificultam a retirada dos grãos do campo e vêm preocupando os mercados internacionais com relação à oferta mundial da oleaginosa", alertaram os técnicos do Imea em boletim à parte, também divulgado nesta segunda-feira.

O instituto disse que havia pouca disponibilidade de grãos de 2019/20 e que em janeiro o volume exportado por Mato Grosso foi próximo de zero. No mês passado, o Brasil embarcou a menor quantidade de soja desde 2014, com 49,5 mil toneladas.

"A demanda internacional pela soja segue firme e vem preocupando os compradores ao redor do mundo, visto que os estoques norte-americanos estão apertados com suas vendas semanais acima do esperado, e a Argentina enfrenta problemas logísticos e climáticos nas regiões produtoras", acrescentou.

Por outro lado, as chuvas vêm aliviando as potenciais perdas nas lavouras que foram plantadas tardiamente em Mato Grosso devido à seca no início da safra, "trazendo expectativas de safra recorde".

A comercialização de milho da safra 2020/21, por sua vez, alcançou 67,95%, informou o Imea, ante 64,44% no mesmo período de 2019/20 e média histórica de 49,97%.

Para a próxima temporada, as vendas do cereal chegaram a 10,92% da produção esperada, versus 2% um ano antes e média histórica de 0,40%.

No algodão, a comercialização da pluma de 2020/21 em Mato Grosso atingiu 58,53%. Um ano antes, estava em 74,34%, e a média dos últimos cinco anos é de 62,43%, disse o Imea.

Para 2021/22, as vendas de algodão atingiram 11,41%, ante 23,71% no mesmo período da safra anterior e média histórica de 6,60%.