Adidas fará produção em massa de tênis em impressora 3D em parceria com startup do Vale do Silício

HERZOGENAURACH, Alemanha/NOVA YORK (Reuters) - A Adidas lançou nesta sexta-feira um tênis com a sola feita em impressora 3D, em uma preparação para que o produto entre em escala de produção em massa no ano que vem. O anúncio é parte de estratégia da companhia alemã de reagir mais rapidamente às mudanças na moda e criar mais produtos personalizados.

A Adidas já permite que os clientes escolham a cor e estampa de calçados encomendados online, mas o novo método de impressão 3D pode acelerar pequenas produções como edições limitadas, e mesmo projetar solas projetadas especificamente para suportar o peso de uma pessoa.

Rivais como Nike, Under Armour e New Balance também estão experimentando a impressão 3D, mas até agora têm usado a tecnologia apenas na produção de protótipos, calçados personalizados para atletas patrocinados e produtos de alto valor.

Isso porque as impressoras 3D convencionais são mais lentas, mais caras e frequentemente criam produtos de qualidade inferior que os equipamentos de injeção de plástico, usados atualmente para produção de centenas de milhões de calçados por ano, principalmente na Ásia.

Segundo a Adidas, a nova parceria com a Carbon, empresa iniciante de tecnologia do Vale do Silício, permitirá superar muitas dificuldades na produção da sola, tornando o método um possível concorrente do sistema tradicional de injeção de plástico.

"Isto é um marco não apenas para nós como companhia, mas para toda a indústria", disse Gerd Manz, diretor de inovação da Adidas, no lançamento do "Futurecraft 4D".

A Carbon, financiada por empresas de investimento de risco como Sequoia Capital e também por General Eletric e Alphabet, foi pioneira na tecnologia que imprime com uma resina de polímero sensível à luz e que depois é aquecida para ganhar resistência.

Impressoras 3D fazem produtos por meio da sobreposição da camadas de pó de plástico, um método usado pela Hewlett Packard, que está trabalhando com a Nike e afirma que seus novos equipamentos funcionam 10 vezes mais rápido e pela metade do preço do custo de modelos anteriores.

A Adidas espera vender 5 mil pares do Futurecraft 4D este ano e 100 mil no próximo ano, com a redução no tempo de impressão de solas de uma hora e meia para menos de 20 minutos por sola. Os calçados serão vendidos por um preço premium ainda não especificado, mas a Adidas planeja reduzir os custos com o desenvolvimento da tecnologia.

No ano passado, a Adidas vendeu algumas centenas de pares de tênis de corrida com solados produzidos em impressoras 3D comuns por 333 dólares cada.

A consultoria Wohlers Associates, especializada em impressão 3D, estima que a indústria vai mais que quadruplicar as vendas para 26 bilhões de dólares em 2022, guiada principalmente por encomendas do setor automotivo, de saúde, dentário e de jóias.