Adjunta de Mario Frias anuncia que deixa cargo na Cultura sob Bolsonaro

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 10.11.2020 - O secretário de Cultura, Mário Frias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 10.11.2020 - O secretário de Cultura, Mário Frias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - A advogada Andrea Abrão Paes Leme anunciou em rede social que está de saída da Secretaria Especial da Cultura, chefiada pelo ator Mario Frias.

"Findei esta semana minha estadia como secretária especial adjunta da Cultura. Foram 13 meses intensos em que procurei levar a minha experiência em gestão, implementar novos processos, fluxos e objetivos. Aprendi um novo saber e conheci excelentes profissionais, cientes de seus deveres e habilidosos para darem sequência ao que implementamos juntos. Não foi uma decisão fácil, confesso, os vínculos se formam, mas as excelentes lembranças ficam para sempre. Agradeço a confiança de todos", postou Paes Leme.

Antes de dirigir o Departamento do Sistema Nacional da Cultura, de abril até agora, diz já ter passado pela Universidade Federal de Santa Catarina, pela Empresa de Planejamento e Logística, pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes e pela Ferrovia Paulista S/A, nos anos 1990.

Nesta semana, após uma reportagem da Ilustrada, a oposição pediu à Comissão de Ética Pública uma apuração sobre a conduta do secretário. Segundo noticiou a Folha, pessoas afirmam terem presenciado episódios de assédio moral por parte de Frias, com direito a berros e xingamentos. Além disso, afirmam que o secretário anda no ambiente de trabalho com arma na cintura, à vista de todos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos