Após volta às aulas em Campinas (SP), jovem de 13 anos morre de Covid; Caso é investigado

·3 minuto de leitura
Ana Clara Macedo dos Santos, de 13 anos, vítima de Covid-19 em Campinas (SP) após retorno das aulas presenciais - Foto: Arquivo Pessoal
Ana Clara Macedo dos Santos, de 13 anos, vítima de Covid-19 em Campinas (SP) após retorno das aulas presenciais - Foto: Arquivo Pessoal

Ana Clara Macedo dos Santos, de 13 anos, é mais uma das vítimas de Covid-19 no Brasil. A menina, estudante do 8º ano da Escola Estadual Escritora Rachel de Queiroz, no bairro Jardim Yeda, em Campinas (SP), contaminou-se no retorno às aulas e faleceu no último dia 24. Professores fizeram uma homenagem após a morte da jovem. As informações são do Extra.

O caso, que chocou a comunidade escolar da cidade, está sendo investigado pelo Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas. No último dia 26, o órgão informou que um exame do tipo PCR realizado pela jovem deu negativo, mas que a contraprova é aguardada.

Leia também

Após a perda da jovem, familiares homenagearam a adolescente nas redes sociais. Paulo Cesar Nunes dos Santos publicou uma foto da filha com asas de anjo. Ele ainda criou um álbum virtual com diversos registros de Ana.

"Anjinha dos céus. Aninha que hoje faz parte do exército de anjos do Senhor. Obrigado, Pai, por nos ter dado o privilégio de sermos pais, mesmo que em tão pouco tempo. Mas esse pouco tempo foi muito de felicidade. Deus seja louvado", disse.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Carolina Macedo, irmã de Ana, escreveu uma declaração emocionada afirmando estar sentir uma mistura de "gratidão com tristeza". 

"Mas se for para falar de algo bom, eu sempre vou lembrar de você... Minha pequena grande menina, Aninha. Hoje me faltam palavras para descrever o que estou sentindo, é uma mistura de gratidão com tristeza... Gratidão por Deus ter nos permitido viver 13 anos junto deste anjo, dessa menina tão pura, doce, alegre, que por onde passava contagiava a todos com o seu sorriso e tristeza porque não a terei mais em meus braços pela manhã. Mesmo com toda essa mistura de sentimentos, estou em paz e feliz! Quem teve o PRIVILÉGIO de conhecer a Ana, sabe o quanto ela amava a Deus, o quanto ela era temente e fiel. Diante desde caos que estamos vivendo – e creio que o pior está por vir –, Deus resolveu recolher o seu anjo aqui da terra e levá-la para cantar no coral dEle lá no céu. Muitas pessoas me disseram que Deus a emprestou para nós, mas que ela pertence a Ele! (...) Você foi, é e pra sempre será o meu eterno e amado bebê. Eu te amo!", escreveu a irmã da vítima.

Caso repercute entre educadores

Além da manifestação da familiares, houve também protestos de professores. Segundo o extra, uma educadora comentou o caso e criticou o fato do governo de São Paulo endossar o retorno presencial às aulas no Estado, além de citar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

"Junto com o sofrimento pelo ocorrido, vem o ódio por saber que pode ser o início de uma tragédia já anunciada e levada a frente pelo governador Doria e seu secretário de educação, Rossieli Soares, em meio a todo negacionismo de Bolsonaro que ceifa vidas", escreveu a educadora.

A escola onde Ana estudava também usou as redes sociais para demonstrar pesar pela perda da jovem. 

"É com pesar que a E.E. Escritora Rachel de Queiroz vem por meio deste informar o falecimento da Aluna Ana Clara Macedo dos Santos, do 8° Ano B em decorrência de complicações da Covid-19", escreveu a instituição em seu perfil.