Adolescente de 16 anos é morto durante operação policial no Rio de Janeiro

·2 minuto de leitura
Aerial view of the Penha Brasil Favela where families have started relocating during the coronavirus pandemic in Sao Paulo, Brazil, Saturday, May 15, 2021. Over 200 families live in the Penha Brasil community, one of the new favelas that are sprouting up around Brazil's largest city, inhabited most by newly unemployed workers who lost their jobs and homes as a result of the pandemic. (AP Photo/Andre Penner)
Megaoperação da polícia aconteceu no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro (Foto: AP Photo/Andre Penner)

Uma ação policial no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio de Janeiro, deixou pelo menos três mortos, entre eles, um adolescente de 16 anos. A megaoperação, chamada de “Coalizão do Bem”, acontece desde o início da manhã desta sexta-feira (18) e conta com agentes das polícias Civil e Militar, além das polícias do Pará e do Amazonas.

Segundo o jornal O Dia, Thiago da Conceição, de 16 anos, foi baleado na cabeça durante a operação no Morro da Fé e morreu. Quatro pessoas baleadas foram levadas ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, enquanto três já chegaram mortos, entre eles, Thiago.

De acordo com informações do G1, Thiago da Conceição estava dentro de casa quando foi atingido. Em coletiva de imprensa, o subsecretário operacional do RJ, Rodrigo Oliveira, afirmou que o caso será apurado. "Com relação específica ao adolescente baleado, a gente não tem todas as informações. Isso será objeto de uma investigação. No local onde ele foi baleado, não havia nenhum policial naquela localidade. Eles perceberam um tumulto à distância, e obtiveram a informação que o adolescente tinha sido baleado". 

Leia também:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Um familiar do adolescente declarou que a mãe de Thiago está desesperada. “A gente estava acabando de acordar agora. A mãe dele está desesperada”, disse ao jornal O Dia. Moradores da comunidade registraram protestos pela morte do jovem. 

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Na operação, são cumpridos mandados de prisão de organizações criminosas de outros estados que se refugiam em comunidades no Rio de Janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos