Adolescente é morto por PM no RJ e tem corpo jogado em vala, diz família

·2 min de leitura
O adolescente Cauã da Silva dos Santos, morto nesta segunda-feira. Foto: Reprodução/TV Globo.
O adolescente Cauã da Silva dos Santos, morto nesta segunda-feira. Foto: Reprodução/TV Globo.
  • Jovem foi morto ao sair de um evento para crianças na comunidade de Dourado

  • Moradores negam que houve troca de tiros no momento

  • Adolescente chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu

Um adolescente de 17 anos foi baleado e morto na noite desta segunda-feira (4) na saída de um evento para crianças na comunidade de Dourado, em Cordovil, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Cauã da Silva dos Santos assassinado por um policial militar, segundo seus familiares.

Os parentes do jovem contam que ele era lutador de jiu-jitsu e luta livre há três anos, integrava um projeto social na região e não tinha envolvimento com o tráfico de drogas.

Ainda segundo os familiares, seu corpo foi jogado em um valão pelo policial. Os próprios parentes tiraram Cauã de lá e o levaram para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

"Jogaram o meu neto dentro do rio. Mas isso não vai ficar impune, pois nós não vamos deixar mais uma morte cair nas estatísticas, que são muitas. Quantas mães, quantas avós estão chorando nesse momento como eu, como a minha mãe, como a mãe dele, o meu filho, que é pai dele", lamentou Edineize Soares, avó de Cauã, em entrevista para o portal G1.

O adolescente, no entanto, chegou morto ao hospital.

“Nós estávamos indo para casa quando os caras já vieram atirando em geral. Nós gritamos no beco: é morador! É morador! Eles largando tiro. Quando um morador parou no nosso lado e chamou para casa dele. Quando nós vimos, eles, os ‘cana’ largaram um tiro no peito dele e jogaram ele dentro do riacho. Sangue frio. Nós gritando que é morador. Gritando, todo mundo gritando”, contou um morador que não quis ser identificado.

No momento em que o jovem foi baleado, não havia nenhuma operação em andamento ou troca de tiros, segundo moradores da região. Pessoas da comunidade de Dourado fizeram uma manifestação em repúdio à morte do jovem e incendiaram um ônibus.

A plataforma de dados Fogo Cruzado revela que 16 adolescentes foram baleados somente este ano na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Cinco morreram.

Segundo a Polícia Militar, agentes do 16º Batalhão (Olaria) realizavam policiamento pela Rua Antônio João, na região da comunidade da Tinta, quando foram atacados. Houve confronto e um suspeito foi atingido.

Depois, os policiais foram até um valão próximo onde outros suspeitos tinham pulado durante a fuga. Lá, eles apreenderam uma pistola e três carregadores. A PM diz que os agentes souberam, mais tarde, que um homem atingido por bala de fogo foi levado para o Hospital Getúlio Vargas e faleceu.

A PM diz que apura o caso, assim como a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), da Polícia Civil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos