Adolescente matou por ciúme neta de cacique que estava desaparecida em MS

Adolescente que matou neta de cacique foi preso - Foto: Getty Images
Adolescente que matou neta de cacique foi preso - Foto: Getty Images
  • Adolescente matou uma garota de 13 anos por ciúmes em Dourados, Mato Grosso do Sul

  • A vítima era neta do cacique da aldeia Jaguapiru

  • O corpo da vítima foi localizado após oito dias de desaparecimento

Um adolescente de 17 anos confessou ter matado a jovem indígena Ariane Oliveira Cantoeira, de apenas 13, na cidade de Dourados, em Mato Grosso do Sul. A vítima estava desaparecida desde o último dia 3.

De acordo com informações do g1, Ariane era neta do cacique Getúlio de Oliveira, da aldeia Jaguapiru, que fica na cidade. O corpo da vítima foi encontrado no último domingo (11), nas proximidades da comunidade.

O delegado responsável pelo caso, Dermeval Inácio, explicou que o suspeito também foi localizado em uma área perto da aldeia e conduzido à delegacia com apoio da liderança indígena.

Aos policiais, o adolescente admitiu a autoria do crime. Segundo o próprio, o assassinato foi motivado por ciúmes.

Ariane foi estrangulada até a morte e, depois, teve o corpo escondido em uma área de mata. Quando foi encontrado, o cadáver já apresentava sinais avançados de decomposição.

O caso segue investigado como feminicídio, e o delegado Inácio entrou com representação pedindo a internação provisória do criminoso menor de idade.

Entenda o crime

Ariane estava desaparecida desde o último dia 3, quando foi vista pela última vez enquanto brincava no celular com seu irmão dentro de casa, durante a noite.

A mãe da jovem, Aldeneia Oliveira, contou que a garota foi atender a porta após alguém bater. Ela saiu para ver quem era e não retornou mais.

"Fomos dormir, horas depois o meu filho me chamou avisando do barulho e minha filha já tinha desaparecido. Passamos a noite procurando pela minha filha. No sábado, procuramos o cacique, ele acionou as autoridades sobre o desaparecimento", relatou ao g1 na semana passada.

Ainda segundo a mulher, sua filha já havia desaparecido há um ano, quando foi dopada e, após vários dias, deixada em frente à sua casa.

O que é feminicídio?

Segundo o Código Penal Brasileiro, o feminicídio é o homicídio praticado contra a mulher pelo fato de ela ser uma figura feminina, ou nos casos de violência doméstica. Fatores como misoginia, menosprezo pela condição feminina, discriminação de gênero e violência sexual são os principais indícios do crime.

A lei do feminicídio (lei 13.104/15) não enquadra, porém, o crime a qualquer assassinato de mulheres.

Variações do feminicídio

Violência doméstica ou familiar: A lei se enquadra nos casos em que o criminoso é uma pessoa da própria família ou já manteve uma relação com a vítima. Esta é a variação mais comum no Brasil.

Menosprezo ou discriminação contra a mulher: A lei também pode ser aplicada quando o assassinato é resultante do preconceito de gênero, que pode ser manifestado pela objetificação feminina e pela misoginia.

Pena prevista para o crime

Vale ressaltar, ainda que o feminicídio é visto pelo Código Penal como uma forma qualificada de homicídio. Sendo assim, a pessoa que cometer o crime está sujeita a pegar de 12 a 30 anos de reclusão.