Adolescente vítima de ataque a escolas em Aracruz (ES) está intubada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cinco das vítimas hospitalizadas após o ataque a tiros a duas escolas em Aracruz (ES) estão internadas em estado grave em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) de duas cidades, segundo boletim divulgado na manhã deste sábado (26) pela Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo.

Entre elas há um menino de 11 anos, que passou por cirurgia, e uma adolescente de 14 anos, que também precisou de procedimento cirúrgico e está intubada. Os dois estão no Hospital Estadual Nossa Senhora da Glória, em Vitória.

De acordo com o boletim, três mulheres, de 38, 45 e 52 anos também tiveram de ser operadas e estão em estado grave na UTI. Elas foram internadas no Hospital Estadual Dr. Jayme dos Santos Neve, em Serra (ES), após serem transferidas de helicóptero.

Outra vítima, uma mulher de 58 anos, está internada no Hospital Estadual de Urgência e Emergência São Lucas, na capital Vitória. Ela passou por cirurgia e seu estado estável, segundo a secretaria.

Os demais feridos acabaram liberados sem apresentar gravidade após atendimento.

Na manhã de sexta-feira (25), ataques a tiros em duas escolas, uma pública e uma particular, em Aracruz deixaram três mortos e 11 feridos.

Um ex-aluno de 16 anos, transferido em junho da escola estadual e filho de policial militar, foi apreendido como suspeito de cometer o crime. Materiais com a suástica, símbolo nazista, foram recolhidos em sua casa.

Os ataques foram registrados nas escolas Primo Bitti, pública, e Centro Educacional Praia de Coqueiral, próximas uma da outra, no município de 104 mil habitantes no interior capixaba.

A ação começou pela escola pública, onde duas pessoas morreram e outras nove foram atingidas por disparos, de acordo com o secretário da Segurança Pública e da Defesa Social do Espírito Santo, Marcio Celante.

O atirador entrou no local por volta das 9h, após arrombar um cadeado. A ação ocorreu dentro da sala dos professores. As docentes Cybelle Passos Bezerra Lara, 45, e Maria da Penha Pereira, 48, morreram.

Depois do ataque inicial, ele se deslocou de carro para o Centro Educacional Praia de Coqueiral, que é particular e fica na mesma avenida, a cerca de um quilômetro de distância. No local, o adolescente fez mais três vítimas, todas estudantes. Uma delas morreu.

O suspeito de cometer o crime foi apreendido por volta das 15h30, na própria cidade. De acordo com o governador Renato Casagrande (PSB), ele que estudou na Primo Bitti até junho, quando foi transferido a pedido da família.

O estudante teria utilizado duas armas do pai para cometer os ataques, sendo uma pistola semiautomática e um revólver, segundo a Polícia Civil. O carro usado para o deslocamento até as duas escolas também era do pai.

"Ele planejou essa ação durante dois anos, mas não falou qual foi o motivo [...] Ele estava em estado de choque, mas tranquilo, e não conseguimos observar se ele mostrava arrependimento", disse o superintendente da regional norte da Polícia Civil do Espírito Santo, João Francisco Filho.

Neste sábado, o atacante Richarlison, autor dos dois gols na estreia do Brasil na Copa do Mundo contra a Sérvia, na quinta (24), publicou uma mensagem nas redes sociais se solidarizando com as vítimas.

"Minha solidariedade e tristeza pelo que aconteceu ontem no meu estado, em Aracruz. Professoras e uma criança morta. Coisa impossível de acreditar que ainda aconteça. Muita força e carinho pras famílias e amigos", escreveu o jogador, que é capixaba --ele nasceu em Nova Venécia, a cerca de 180 km de distância da capital Vitória.