Adolescentes denunciam racismo em loja de eletrônicos de shopping paulistano

Três adolescentes negros registraram, em vídeo, que foram perseguidos por um funcionário da loja Fast Shop, do Shopping Pátio Higienópolis, ao longo de um passeio nesta quarta-feira, dia 20. O pai de um dos meninos, Djalma Campos, jornalista e podcaster, postou o caso em suas redes sociais. "Um problema que todo negro/negra, adulto ou criança, já enfrentou na vida: a perseguição por conta do racismo", escreveu.

De acordo com a postagem, os meninos que têm idade entre 12 e 13 anos estavam no centro de compras para assistir ao filme "Minions 2" e decidiram passar na loja Fast Shop. Na chegada à loja, foram perseguidos pelo funcionário no departamento de eletrodomésticos. Percebendo a movimentação do homem, os meninos gravaram o ocorrido com a câmera frontal do celular.

Em apenas dois minutos de vídeo, o funcionário da loja que persegue os meninos pode ser visto várias vezes. "A perseguição é um 'esporte', a gerente da loja da Fast Shop tentou explicar o inexplicável para minha irmã, que ligou para denunciar o crime".

Procurado, o Shopping afirmou que, "assim que tomou ciência do relato, entrou em contato com a cliente e com o lojista para apurar os fatos". Ainda diz que que repudia qualquer ato que denote discriminação ou qualquer forma de racismo.

A Fast Shop afirmou que repudia todo e qualquer ato discriminatório e que iniciou uma investigação para apurar o ocorrido". A loja diz que caso seja comprovada qualquer atitude irregular ou discriminatória por parte de algum colaborador, todas as medidas cabíveis serão adotadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos