Advogada midiática se torna a primeira mulher presidente da Eslovênia

Os eslovenos elegeram neste domingo (13) a renomada advogada e novata na política, Natasa Pirc Musar, como primeira presidente do país europeu, segundo os resultados provisórios.

O cargo de presidente na Eslovênia é essencialmente protocolar.

A mulher de 54 anos, que foi advogada da ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, que tem origem eslovena, obteve 54% dos votos, segundo a apuração de mais da metade das urnas.

Seu rival, o conservador Anze Logar, ex-ministro das Relações Exteriores que ganhou o primeiro turno em 23 de outubro, obteve 46% dos votos.

Em um país dividido após o mandato do ex-primeiro-ministro Janez Jansa, Natasa Pirc Musar fez um apelo à "unidade" e pediu que as "disputas" fossem deixadas de lado.

"Minha primeira ação será convidar todos os líderes dos partidos políticos ao palácio presidencial", disse em Liubliana, a capital.

Com 2 milhões de habitantes, a Eslovênia fez parte da Iugoslávia e é membro da União Europeia (UE) desde 2004.

O ganhador das eleições sucederá a Borut Pahor, de 58 anos, que teve dois mandatos de cinco anos.

Durante a campanha, a candidata, que se define como "liberal", destacou seu desejo de dar mais conteúdo a este cargo essencialmente protocolar.

"O presidente não pode ser neutro, tem que ter uma opinião", ser "uma autoridade moral", disse ela à AFP entre o primeiro e o segundo turno do pleito. "Nunca tive medo de fazer minha voz ser ouvida", frisou.

O chefe de Estado em fim de mandato, Borut Pahor, que não pôde concorrer à reeleição após dois mandatos, foi criticado por sua passividade em relação a Janez Jansa.

bk/meb-sag/pc/rpr